Dinâmica sociocultural na história antiga

Escrito por scott thompson | Traduzido por max jahnke
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dinâmica sociocultural na história antiga
Dinâmica sociocultural é o estudo das mudanças nas sociedades (Tom Brakefield/Stockbyte/Getty Images)

Dinâmicas socioculturais (também conhecido como "dinâmica social", ou "dinâmica cultural") é o estudo das mudanças em sociedades complexas. Todas as sociedades mudam ao longo do tempo conforme se adaptam às evoluções internas e externas. A ascensão e queda de impérios e civilizações evolui para novos padrões. A dinâmica sociocultural da história antiga é o estudo de como e por que grandes civilizações como Egito Antigo, Grécia e Roma evoluíram e passaram por diferentes fases ao longo dos séculos.

Outras pessoas estão lendo

Dinâmica social em larga escala

O estudo da dinâmica social na história antiga pode ser examinado em uma escala muito grande, abordando questões como as razões para o declínio e queda do Império Romano, ou a ascensão da cidades-estados gregas. Um exemplo seria a teoria da "idade axial", de Karl Jaspers. Jaspers ensinou que as grandes religiões da história antiga surgiram porque as classes de elite tinham tempo livre e luxo suficientes para especular sobre questões espirituais transcendentais. O estudo em grande escala da dinâmica sociocultural antiga é uma tarefa difícil para os historiadores, porque as respostas a esses tipos de perguntas são geralmente complexas.

Dinâmica social em escala reduzida

A dinâmica sociocultural da história antiga também pode ser estudada em uma escala menor. O historiador pode examinar questões como o crescimento dos centros urbanos, tais como Carlisle e Corbélia nas áreas do norte da Grã-Bretanha romana, e por que esses assentamentos mais tarde diminuíram, ou as maneiras pelas quais a economia escravista romana e a imitação dos valores gregos levaram a uma ampla aceitação das relações homossexuais.

Evolucionismo social

Vários filósofos da história propuseram grandes teorias para o desenvolvimento das sociedades ao longo do tempo. Herbert Spencer argumentou que as sociedades modernas evoluíram a partir de apenas alguns tipos de sociedades antigas, através de um processo semelhante ao da evolução darwiniana. Auguste Comte ensinou que todas passam pelas mesmas fases da história em uma ordem previsível. Karl Marx acreditava que elas se desenvolvem através de um processo de dialética histórica em que os interesses opostos produzem uma nova síntese e, em seguida, tornam-se um novo conjunto de interesses opostos. Todas essas teorias compartilham o pressuposto de que a dinâmica sociocultural de sociedades antigas são a causa histórica para as formas de sociedades modernas que existem hoje.

Ceticismo

Teorias gerais das dinâmicas socioculturais na história antiga tendem a provocar ceticismo entre os historiadores, devido à complexidade das questões envolvidas. Por exemplo, a teoria da "idade axial", foi mais tarde criticada por minimizar as diferenças entre as culturas e períodos de tempo que Jaspers estudou, e também por exagerar os fatores que elas supostamente tinham em comum. As teorias mais recentes têm enfatizado a complexidade das interações entre as elites políticas, militares e religiosas, e como as tensões entre esses grupos causou mudanças sociais e religiosas mais amplas ao longo do tempo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível