on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Doenças que matam pés de alecrim

Os pés de alecrim são arbustos versáteis que podem ser utilizadas como plantas decorativas ou plantados em uma horta herbácea. O alecrim é uma planta perene que desenvolve flores azuis na primavera e no verão, para acompanhar as folhas parecidas com agulhas. Cuidar de arbustos de alecrim é geralmente fácil, mas existem diversas doenças que afetam essas plantas. Muitas delas podem, na verdade, ser fatais para os alecrins e costumam ser muito difíceis de serem curadas, uma vez que tenham afetado o arbusto.

A podridão cinzenta e as manchas foliares causam descoloração nas folhas do alecrim (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Podridão cinzenta

A podridão cinzenta é uma infecção fúngica que começa apodrecendo as folhas mais velhas próximas ao centro do pé de alecrim. Ela prospera quando a umidade está alta, o tempo nublado e o ar com circulação pobre, podendo se espalhar rapidamente pela planta. À medida que o fungo progride, podem aparecer manchas foliares marrom-amareladas ou manchas de água nos caules da planta. Quando a umidade está particularmente alta, a podridão cinzenta cria um cotão marrom ou cinza que se espalha sobre as partes apodrecidas do pé de alecrim. Se for incomodado, o fungo libera esporos que ajudam a doença a se espalhar. Quando deixada sem tratamento, a podridão cinzenta toma conta de todo o pé de alecrim e o mata. Se forem observados sinais da doença, remova as plantas e os detritos infectados, para que a infecção fúngica não se espalhe. Para evitar a podridão cinzenta, coloque os vasos de planta separados, para o ar circular melhor. Além disso, utilize brita, cascalho ou pedras como cobertura morta, ao invés de material orgânico, o qual pode conter esporos fúngicos que permitem a entrada da doença nos pés de alecrim.

Loading...

Podridão radicular

A podridão radicular é outra doença que pode matar o alecrim. Existem duas causas principais típicas: rega em excesso e infecção fúngica. Regar demais os pés de alecrim rouba o oxigênio das raízes e faz com que algumas morram. Essas raízes começam a entrar em decomposição e espalhar a podridão para as raízes saudáveis, possivelmente matando a planta toda. Os casos fúngicos da podridão radicular são causados por fungos dormentes no solo que começam a agir quando é acrescentada água em excesso à planta. Há suspeita de podridão radicular quando o pé de alecrim começa a murchar ou ficar amarelado por nenhum motivo aparente. Se isso acontecer, verifique imediatamente as raízes e a base da planta. As raízes infectadas ficam pretas e macias ao toque. Em alguns casos, as raízes afetadas podem se soltar da planta quando tocadas. A podridão radicular é tipicamente incurável, portanto é melhor tomar medidas preventivas. Regue os pés de alecrim apenas quando a terra estiver seca e certifique-se de que eles estejam plantados em vasos com boa drenagem, para que a água em excesso não fique acumulada.

Mancha foliar

Os pés de alecrim também podem morrer como resultado da mancha foliar, uma doença fúngica que ataca as folhas da planta, deixando-as amarelas ou marrons. Elas também podem ficar cobertas por pequenos carpóforos pretos contendo esporos fúngicos que espalham a doença. Na maioria dos casos, a mancha foliar ataca as folhas já enfraquecidas. Quando deixado sem tratamento, o fungo se espalha pelo alecrim e o mata. Para evitar a mancha foliar, certifique-se de fertilizar a planta, para que o solo fique enriquecido com minerais. Utilizar um fungicida de cobre antes da planta começar a crescer na primavera também ajuda a combater a mancha foliar.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...