O que se pode escrever em uma lápide

Escrito por laura reynolds | Traduzido por rosangela gandini
O que  se pode escrever em uma lápide

Quase todos, alguma vez na vida, precisam pensar sobre o que escrever em uma lápide

Eventualmente, quase todas as pessoas têm que tomar uma decisão a respeito do que escrever em uma lápide de um parente ou de um amigo querido. Durante a Era Vitoriana até a virada do século 20, a prosa floreada predominou, com trechos de poesias e passagens bíblicas gravadas. A Primeira Guerra Mundial trouxe uma visão menos romântica da morte e atualmente a prosa memorial é puramente uma questão de preferência familiar.

Outras pessoas estão lendo

O básico

O nome da pessoa falecida de forma completa, talvez com um nome familiar inserido entre aspas, é a inscrição mais comum em uma laje tumular. Ocasionalmente, as iniciais são substituídas pelo primeiro nome e o nome do meio se a campa é de pedra (associada a uma laje tumular adjacente). Algumas campas de crianças são frequentemente inscritas com o diminutivo do nome ou simplesmente "criança" e "filho" ou "filha", se a criança faleceu antes de ter um nome. O ano é sempre marcado na lápide. Frequentemente o ano de nascimento é escrito e às vezes o dia e mês são adicionados a essas anotações. Já que as futuras gerações podem usar a campa para referência ao estabelecer genealogias, a precisão é essencial nessa identificação. Outra informação básica que pode ser incluída em uma lápide compartilhada é a relação do falecido com outros ocupantes ("esposa", "pai", "irmã") do jazigo.

Adicionais importantes

O serviço militar geralmente é anotado em uma laje tumular. A informação pode ser simples como o ramo do serviço ou pode incluir a posição, atribuições ou serviço de guerra. Outros adicionais podem incluir o serviço público, mandato eleito ou membro de determinado clube. Conexões fraternais como a Maçonaria, entre outras, geralmente são anotadas com símbolos de membro. termos afetuosos ("Amado esposo", "Querida mãe") também são informações adicionais tradicionais. Embora muitas pedras da Era Vitoriana fossem cheias de tais termos, o uso deles é uma questão de preferência mais do que de forma nas campas atuais, menos ornamentadas.

Prosa e poesia

"Lembre-se homem, de onde você vem, Como você é hoje, assim eu fui também, Como sou agora, você também será, Lembre-se disso e que depois me seguirá." Essa rima de alerta em um túmulo inglês quase convida à resposta irreverente gravada abaixo dela: "Segui-lo certamente eu não vou Até saber que caminho tomou" (veja o Recurso 3) A prosa, geralmente tirada da Bíblia ou outro livro sagrado, e a poesia às vezes adornam as lajes tumulares como epitáfios para tentar resumir o espírito do falecido. Muitas famílias escolhem frases curtas e populares dos livros de Salmos e Provérbios como "Uma boa esposa, quem pode encontrá-la? Ela é mais preciosa que joias" (Provérbios 31:10). Outros epitáfios usam passagens dos Evangelhos como "Para onde vou você não poderá seguir-me agora" (João 13:36). Um poema, música ou trecho de livro favorito do finado pode fornecer um epitáfio. Ocasionalmente, uma família adiciona um pensamento ou poema de composição própria. O desafio quando se faz uma inscrição em uma campa é escolher uma frase apropriada que caiba nela. É sábio lembrar-se que os costumes mudam; em muitos períodos históricos o humor foi usado em epitáfios, mas o humor de mau gosto é descabido em um cemitério público em respeito aos enlutados. A frase mais simples é geralmente aquela que mais transmitirá para gerações futuras os sentimentos daqueles que amaram quem faleceu.

Não deixe de ver

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível

Direitos autorais © 1999-2014 Demand Media, Inc.

O uso deste site constitui plena aceitação dos Termos de Uso e Política de privacidade de eHow. Ad Choices pt-BR

Demand Media