Estilos de roupa e cabelo na Grécia antiga

Escrito por frank b. chavez iii | Traduzido por josé fabián
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Estilos de roupa e cabelo na Grécia antiga
A Grécia desenvolveu o conceito de "democracia" (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

A Grécia antiga foi um dos berços da civilização. Cultivaram a arte, filosofia, poesia, drama e matemática até níveis sofisticados ainda estudados hoje. Os habitantes de Atenas criaram alguns dos primeiros princípios da democracia, enquanto seus rivais na Esparta ainda comemoravam a coragem e as proezas marciais. O império do Alexandre o Grande espalhou a cultura grega pelo Mediterrâneo. Os antigos gregos usavam roupas simples adequadas para o clima cálido da Grécia.

Outras pessoas estão lendo

Tipos

A principal fonte de informação sobre as roupas e estilos de cabelo da Grécia antiga são os desenhos em vasos e estátuas. Embora o cinema e a televisão criem a impressão de que os gregos usavam principalmente branco, as amostras nas ilustrações mostram que a roupa era muito colorida e decorada em padrões elaborados.

A roupa era principalmente feita em casa e servia para muitas coisas. O mesmo tecido podia servir como túnica, mortalha e cobertor. As peças principais eram uma túnica chamada "peplos" ou "chiton", e uma espécie de manto conhecido como "himation". Tanto homens quanto mulheres usavam botas, sandálias ou sapatos leves, mas normalmente permaneciam descalços em casa.

Roupas de mulher

O "peplos" era um retângulo grande de lã. Era dobrado pela borda superior para que caísse até a cintura. Após envolver o corpo, era amarrada nos ombros com um alfinete ou broche. Deixavam-se espaços para os braços e o lado aberto podia ser costurado ou fechado com um alfinete.

O "chiton" era uma peça retangular grande e larga de tecido ligeiro, como o linho. Era passado ao redor do corpo, costurado nas laterais, costurado ou segurado nos ombros e amarrado com um cinto. O excesso de material era usado para fazer mangas fixadas na parte superior do braço.

A vestimenta era completada com um "himation", colocado por cima dos ombros como um chale ou diagonalmente pelo torso. As mulheres adicionavam, às vezes, um chale chamado "epiblema" e um chapéu baixo com uma coroa.

Roupas de homem

Os homens normalmente vestiam um "chiton" como o das mulheres, mas a versão masculina era normalmente mais curta, caindo até os joelhos ou coxas, enquanto a versão feminina chegava até o chão. Um "chiton" curto, chamado "exomis", era usado para montar a cavalo e fazer exercício. Como as mulheres, os homens completavam o vestuário com um "himation". Os jovens usavam às vezes uma capa chamada "chalmys" ao andar a cavalo. Os homens podiam usar um chapéu largo chamado "petasos".

Estilos de cabelo

Os estilos de cabelo variaram através do tempo, mas tanto homens quanto mulheres usavam-no grande. O cabelo curto era reservado para os escravos e as mulheres de luto. As mulheres usavam o cabelo ondulado ou cacheado, segurado por lenços e fitas.

No poema épico "A Ilíada", Homero frequentemente descreve os guerreiros como Aquiles com cabelo grande e solto. Especialmente os espartanos pensavam que o cabelo grande fazia com que um homem bonito fosse mais atraente e um homem feio fosse mais temível.

Roupa militar

Os guerreiros gregos, conhecidos como "hoplitas", eram bastante vistosos. Iam para a batalha em armadura de bronze colada ao corpo ou de linho coberta com escamas, protetores bucales de bronze chamados "torresmos" e um capacete de bronze. O capacete era polido para dar um acabamento de espelho ou pintado em cores brilhantes e decorado com uma crista de pelo de cavalo. Embaixo da armadura, o guerreiro usava um chiton azul ou vermelho. Eles criavam uma vista impressionante enquanto marchavam para a batalha no brilhante sol do Mediterrâneo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível