Figuras históricas dos incas

Escrito por naomi bolton Google | Traduzido por pina bastos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Figuras históricas dos incas
Os governadores incas construíram novas cidades e expandiram o império para cobrir quase 50 mil km (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O grande império inca atingiu seu apogeu no fim do século XV, contando uma população de mais ou menos 6 milhões de habitantes. O império se estendia aproximadamente por 50 mil km ao longo da costa sul-americana nas montanhas dos Andes. No entanto, conquistadores espanhóis esmagaram o império e destruíram a maior parte das obras de arte inca, tornando muito difícil que se tenha uma imagem verdadeira da história inca. Os incas não tinham uma linguagem escrita, mas transmitiram sua história oralmente, identificando várias figuras históricas importantes.

Outras pessoas estão lendo

Os anos 1200

No começo do século XIII, os incas se constituíam principalmente de pequenas tribos, cada uma com seu chefe. A primeira figura histórica importante no folclore inca foi Manco Capac. Capac foi o primeiro inca semi-mitológico de Tawantisuyu e é atribuída a ele a fundação da cidade de Cusco. De acordo com a lenda inca, Manco Capac era filho do Deus Sol, Inti. Depois dele, veio Sinchi Rocca, o segundo inca e considerado o fundador do império. Duas outras figuras semi-mitológicas incas dos anos 1200 foram Lloque Llupanqui e Maya Capac, mas pouco se sabe a respeito de seus reinos.

Os anos 1300

Capac Yupanqui deve ter reinado entre 1320 e 1350 e foi, segundo a lenda inca, o primeiro governante, após Sinchi Rocca, a expandir as fronteiras do império. Inca Rocca seguiu e fundou a dinastia Henan Cusco dos incas, que acabou sendo a última linha dos governantes Tawantinsuyu. Yahuar Huaca, filho de Sinchi Rocca, foi o sétimo rei inca. De acordo com o folclore, uma tribo inimiga sequestrou Yahuar Huaca, que finalmente escapou graças à ajuda de uma das amantes do seu sequestrador.

Os anos 1400

Wiraqocha Inca foi o oitavo governante inca e o primeiro inca cujo governo pode ser ligado a uma época específica, do começo dos anos 1400 a 1438. Ele ficou conhecido por usar mais métodos diplomáticos para lidar com as tribos inimigas e por integrá-las ao seu império. Seu filho, Pachacutec, começou a reinar em 1438 ao derrotar a tribo Chanca. Ele possuía um exército muito profissional e derrotou o Ancocoyuch em 1465, expandindo o império na costa sul e na costa norte. Pachacutec formou a base do planejamento e da administração da cidade inca. Tupac Inca seguiu os passos do pai e expandiu mais o império, de Quito, no Equador, ao norte do Chile.

Os anos 1500

Huayna Capac foi o último governador "propriamente" inca e reinou entre 1493 e 1525. Ele também tentou expandir o império inca, mas morreu em uma epidemia de varíola, juntamente com seu primogênito. Huayna Capac deixou o império dividido entre os filhos Huascar e Atahualpa. Explodiu uma guerra civil entre os irmãos, na qual Atahualpa venceu Huascar.

O espanhol Pizarro pediu um encontro com Atahualpa em Cajamarca, montando uma armadilha para aprisionar o líder inca. Athaualpa foi finalmente garroteado e Pizarro recrutou Tupac Huallpa, um irmão mais moço, para servir de imperador marionete. Depois que ele caiu doente e morreu, Pizarro indicou Manco Inca Yupanqui, outro irmão mais moço de Atahualpa. Manco Inca Yupanqui se rebelou contra os espanhóis e fugiu para Vilcabamba, onde governou independentemente, até que um grupo de "conquistadores" o assassinou em 1545. Paullu Inca, outro filho de Huayna, aliou-se à Espanha após a execução de Atahualpa. Ele se tornou o governante marionete de Cusco e foi até batizado como "Don Melchor Carlos Inca".

Sayri-Tupac Inca, primeiro filho de Manco Inca, foi indicado como governante, após o assassinato de Manco Inca, com apenas cinco anos de idade. Em 1561, ele tentou negociar com os espanhóis por uma terra perto de Cusco, mas morreu repentinamente antes de conseguir fazer qualquer trato. Titu Cosi Yupanqui foi o segundo filho de Manco a governar sobre Vilcabamba.

Ele ficou conhecido como um verdadeiro diplomata, permitindo que missionários espanhóis e comerciantes ocupassem uma parte de Vilcabamba. Aceitou o cristianismo, mas manteve as tradições incas. Tupac Amaru foi o sucessor do trono de seu irmão mais velho, Titu Cosi. Ele chefiou uma rebelião contra os colonizadores e ordenou que todos os cidadãos espanhóis em Vilcabamba fossem executados. Isso resultou em sua morte, assim como o fim do governo inca -- os espanhóis ocuparam Vilcabamba e escravizaram os incas sobreviventes.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível