História do retroprojetor

Escrito por hazel morgan | Traduzido por karyn meyer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
História do retroprojetor
Apenas após sua adoção por educadores, o retroprojetor passou a ter destaque (Thinkstock/Stockbyte/Getty Images)

O primeiro tipo de retroprojetor era um episcópio, substituído nos anos 1940 pelos primeiros dispositivos mais modernos. Somente após ter sido adotado por educadores que este equipamento ganhou destaque.

Projetores opacos

A primeira versão do retroprojetor foi o episcópio, inventado no início do século 20. O conceito de projeção com "lâmpadas mágicas" foi descrito em 1911 na Enciclopédia Britannica. O projetor opaco emitia luz brilhante em um material não transparente e uma combinação de espelhos ou lentes projetava a imagem em uma tela. Devido à necessidade de uma maior quantidade de luz, os objetos projetados poderiam ser danificados, limitando o uso do dispositivo.

Primeiros usos

No início, os projetores opacos mal chegam ao reino dos brinquedos infantis, embora artistas os utilizassem para ampliar imagens. Gradualmente, entretanto, eles foram adotados para palestras e apresentações. De acordo com Henry Petroski em "Success Through Failure: The Paradox of Design" (Sucesso por meio de falhas: o paradoxo do projeto), nos anos 40 a polícia e o exército americanos utilizaram uma versão primária do retroprojetor. Essas primeiras máquinas usaram a tecnologia já existente do projetor de slides para projetar imagens em uma tela grande.

Roger Appledorn

Roger Appledorn trabalhou como cientista pesquisador para a 3M, fundada em 1902. Nos anos de 50, a 3M introduziu o processo de reprodução fac-símile térmico. A empresa ficou conhecida por encorajar experimentos dentre seu pessoal e Appledorn arquitetou uma máquina para projetar escrita à partir de uma transparência. Uma vez que a empresa gostou da ideia e a transformou no primeiro retroprojetor, esta invenção ganhou suporte no mercado. Appledorn foi, em pessoa, buscar aproximação com os professores, que viram potencial suficiente para o produto decolar. A 3M e as indústrias Buhl estavam entre as primeiras grandes produtoras de retroprojetores.

Educação

As empresas foram lentas na adoção da tecnologia, pois anotações manuscritas eram consideradas muito informais. Apenas quando as fotocopiadoras foram disponibilizadas que esta barreira foi superada. Foi neste momento, no setor educacional, que os retroprojetores viram maior crescimento.

Nos anos 1980, professores começaram a utilizar tais equipamentos para projetar imagens em movimento usando telas LCD. O primeiro destes projetores era monocromático, mas versões a cores tornaram-se disponíveis no final da mesma década.

Futuro

Atualmente, a tecnologia da computação está substituindo rapidamente os retroprojetores, especialmente porque as apresentações de slides agora podem ser projetadas diretamente à partir de softwares, tal como o Microsoft PowerPoint. A projeção LCD era geralmente borrada e os computadores oferecem uma imagem de melhor qualidade para uma plateia sofisticada. Além disso, até os mais novos retroprojetores são grandes e difíceis de manusear.

Mesmo assim, os retroprojetor são equipamentos padrão em escolas e em muitas empresas e a indústria não apresenta sinais de fraqueza.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível