Ileostomia e colostomia

Escrito por virginia franco | Traduzido por jesse mourao
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Ileostomia e colostomia
Tanto a ileostomia como a colostomia são usadas ​​para ajudar os pacientes a desobstruir as fezes quando o cólon ou reto não podem fazer o trabalho (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Tanto a ileostomia como a colostomia são usadas ​​para ajudar os pacientes a desobstruir as fezes quando o cólon ou reto não podem fazer o trabalho. Embora cada cirurgia tenha propósitos semelhantes, as duas são bastante diferentes no que diz respeito à cirurgia envolvida, ao pós-tratamento, e à condução de cada procedimento.

Outras pessoas estão lendo

Definições cirúrgicas

Embora ambas sejam procedimentos cirúrgicos, os pormenores de cada um deles são diferentes. Ambas as cirurgias são usados ​​para criar uma abertura através da qual os resíduos sólidos provenientes do corpo podem passar. Com a ileostomia, uma abertura é criada a partir do íleo, na parte mais inferior do intestino delgado, através da parede abdominal, replicando a função de um ânus. A Ileostomia permite que as fezes passem através do corpo quando o cólon ou o reto é incapaz de servir a esse propósito. Uma colostomia é bastante diferente, e envolve um processo para trazer uma extremidade do intestino grosso através da parede abdominal, de forma que as fezes que se deslocam através do intestino possam ignorar o cólon e passar diretamente para uma bolsa que é ligada ao abdômen.

Cada cirurgia é um caso

As Ileostomias são realizadas sob uma série de circunstâncias diferentes, onde não há danos para o cólon ou reto. A maioria dos pacientes que passam por uma ileostomia sofrem de algum tipo de doença inflamatória do intestino, do cólon ou câncer retal. Algumas situações de inflamações abdominais, como um abscesso ou uma diverticulite perfurada, lesão no cólon ou reto, ou grande obstrução intestinal, podem levar a uma colostomia. Pacientes com câncer no reto ou cólon, bem como aqueles com lesões em área do períneo, também podem exigir este tipo de cirurgia.

Permanência

Essas duas cirurgias são projetadas para ser temporárias ou permanentes, dependendo da situação particular e das condições do cólon ou reto. Depois de grandes cirurgias intestinais, não é incomum para um cirurgião recomendar um ou outro procedimento para dar ao intestino um pouco de descanso. Colostomias e ileostomias de curto prazo podem ser revertidas quando parte do reto permanece intacta.

Expectativas pós-cirúrgicas

Prepare-se para ficar no hospital por um período de três a sete dias após a operação. As cirurgias de emergência necessitam de um tempo maior de recuperação. A maioria dos pacientes pode começar a comer normalmente em menos de dois dias após a colostomia e ileostomia.

Pós-tratamento

Tanto a abertura e a bolsa da colostomia devem ser bem cuidadas algumas vezes por dia para evitar infecção. É preciso algum treinamento sobre como limpar e como esvaziar o saco. Ileostomias exigem pouco cuidado pós-operatório, e a maioria dos pacientes pode retornar às atividades pré-cirúrgicas, incluindo esportes, viagens e trabalhos, sem nenhum problema. Os pacientes com ileostomias que sofrem de uma condição intestinal crônica, como a doença de Crohn ou colite ulcerosa, precisarão de tratamento médico contínuo para controlar a doença.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível