Mais
×

Legalização do aborto: entenda os dois lados da moeda

Além de ser uma questão controversa, o tema do aborto costuma provocar discussões acaloradas tanto por parte de quem é a favor quanto por parte de quem é contra. O aborto é a morte espontânea ou provocada do feto. No Brasil, como na maioria dos países, a prática do aborto é proibida por lei. Por aqui, há apenas duas exceções: em casos de estupro ou em ocasiões na qual a mãe corra risco de vida em decorrência da gravidez. O fato é que muitas mulheres recorrem ao aborto. A cada dois dias, uma brasileira morre vítima de um aborto realizado de forma clandestina. Ao todo, estima-se em 1 milhão de abortos clandestinos por ano.

No Brasil, 1 milhão de abortos clandestinos são realizados por ano (Jupiterimages/liquidlibrary/Getty Images)

Contra: direito à vida

O principal argumento dos críticos ao aborto está na discussão do direito à vida. A controvérsia é gerada por diferentes interpretações sobre se um embrião humano é ou não um ser vivo. Os críticos ao aborto argumentam que o feto também deve possuir direitos humanos iguais aos de qualquer indivíduo. Como a ciência ainda não consegue traçar uma linha a partir da qual a vida se inicie de fato, muitas pessoas acreditam que a mulher gestante tem a obrigação de parir o filho. Há, inclusive, quem considere o aborto um crime semelhante ao assassinato.

Os críticos ao aborto argumentam que o feto é um ser vivo (Steve Mason/Digital Vision/Getty Images)

Contra: argumentos religiosos

Muitos argumentos religiosos costumam ser destilados contra a questão do aborto. Isso porque entende-se que o embrião humano, a partir da sua formação básica, já é um ser vivo com alma. Fiéis de uma série de religiões diferentes acreditam que a vida se inicia no momento da concepção. Portanto, a vida do feto não poderia ser descartada de forma nenhuma. Algumas religiões, inclusive, não aceitam o aborto sequer em circunstâncias como o estupro da mulher.

Algumas religiões equiparam o aborto ao assassinato (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

Pró: problema de saúde pública

O principal argumento a favor do aborto está em considerar que o aborto já é uma realidade no Brasil e no mundo. Trata-se de um problema de saúde pública. No Brasil, a cada dois dias uma mulher morre vítima de um aborto realizado de forma clandestina. Portanto, a melhor forma de resolver o problema seria descriminalizar o aborto e oferecer auxílio às mulheres que se submetem a esse tipo de cirurgia. Outros países do mundo já descriminalizaram o aborto e não houve, como afirmam alguns, maior número de mulheres grávidas.

Outros países já descriminalizaram o aborto (Digital Vision./Photodisc/Getty Images)

Pró: direito da mulher

Outro argumento a favor do aborto refere-se ao poder da mulher de ser dona do próprio corpo. A mulher é capaz de escolher o melhor para si mesma. A legalização do aborto permitiria com que as mulheres manifestassem esse direito de serem donas de si. Os defensores do aborto afirmam que os recursos financeiros do Estado para legalizar a prática seriam mais baratos do que a quantidade que se gasta hoje em tratamentos de problemas para a mãe ou o filho recém-nascido decorrentes de abortos clandestinos ou abortos mal-sucedidos. Trata-se, portanto, de encontrar um ambiente seguro e humanizado para as mulheres serem capazes de definir o próprio futuro.

Um argumento a favor do aborto refere-se ao direito das mulheres em serem donas de si (Digital Vision/Photodisc/Getty Images)
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article