Mais
×

Como lidar com uma convulsão no consultório do dentista

Atualizado em 23 março, 2017

As emergências médicas podem acontecer a qualquer hora e em qualquer lugar — até mesmo na cadeira do dentista. É por isso que os cursos de odontologia treinam os novos dentistas a lidar com emergências médicas comuns, incluindo ataques cardíacos e convulsões. As convulsões são mais comuns entre pacientes epiléticos, mas podem ocorrer com qualquer pessoa, por uma variedade de razões, incluindo reações adversas a anestésicos outros medicamentos dentários. Ocasionalmente, os sintomas ligados às convulsões ocorrem com pacientes sofrendo de ataques de pânico, devido ao medo do tratamento dentário. Os dentistas e assistentes precisam estar preparados para ajudar pacientes que estejam sofrendo de convulsões. É necessário ter coordenação, agir rápido e, mais importante, ter o foco na saúde do paciente.

Instruções

As convulsões requerem uma ação rápida por parte do dentista e dos assistentes (Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images)
  1. Remova qualquer objeto pontiagudo ou perigoso da boca do paciente imediatamente. Os fios ortodônticos e pinos usados em certos procedimentos podem não poder ser removidos a tempo, mas tente.

  2. Atente para as vias aéreas do paciente. A coisa mais importante é que ele continue respirando — portanto vire a cabeça do paciente, se necessário, para assegurar-se de que ele respire com facilidade. Se possível, atribua uma pessoa apenas para monitorar a respiração do paciente.

  3. Posicione o paciente na posição de supino, se possível. Uma cadeira de dentista pode ser útil, para fazer. Se a convulsão não ocorrer na cadeira, tente posicionar o paciente de lado. Entretanto, não restrinja os movimentos do paciente ou mova-o, de qualquer forma que possa interferir na saúde geral dele.

  4. Proteja o paciente durante todo o tempo. Certifique-se de que ele está seguro. Uma convulsão geralmente termina dentro de alguns minutos ou menos e não há nada que se possa fazer, a não ser esperar que ela acabe. O paciente provavelmente não se machucará, desde que você mantenha sua saúde física.

  5. Conte o tempo da convulsão. Os paramédicos e os médicos precisarão saber quanto tempo ela durou. Caso ela dure mais do que cinco minutos, chame uma ambulância.

  6. Administre medicamentos de emergência, se os serviços médicos pedirem. Os dentistas geralmente possuem medicamentos, incluindo diazepam e midazolam, que podem ajudar no caso de convulsões extremas. Entretanto, um dentista não deve decidir dar medicamentos ao paciente sem instruções do serviço médico, a não ser que tenham se passado cinco minutos de convulsão e nenhuma ajuda esteja acessível.

  7. Estabilize a cavidade oral do paciente, assim que a convulsão terminar. Feche qualquer incisão ou cavidade e remova qualquer equipamento que você não conseguiu remover quando a convulsão começou. Não será possível continuar o tratamento dentário e o paciente deve ir com os paramédicos para o hospital, então a boca dele não deve ser exposta a infecções.

  8. Forneça um relatório detalhado da ocorrência para os paramédicos ou médicos, como for necessário. Os dentistas possuem formação médica e podem fornecer observações muito úteis, quando os pacientes passam por problemas médicos.

Aviso

  • Nunca coloque o dedo ou mão dentro da boca de um paciente que está tendo uma convulsão. Você provavelmente receberá uma séria mordida.
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article