Os mistérios do trem fantasma nazista

Escrito por monique roy | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os mistérios do trem fantasma nazista
Bruxelas foi o local do evento do Trem Fantasma Nazista. (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

St. Gilles, a principal prisão de Bruxelas, abrigou mais de 1.000 prisioneiros de guerra. O comandante alemão da Bélgica, Gen. Richard Junglaus da SS, ordenou que os prisioneiros fossem enviados para a Alemanha. Em 1 de setembro de 1944, a Gestapo abarrotou um comboio de 20 vagões de gado, que mais tarde foi chamado de trem fantasma nazista, com centenas de prisioneiros belgas, aviadores aliados capturados e outros inimigos da causa nazista, esse comboio seguia para os campos da Alemanha. Entretanto, graças aos notáveis esforços de uma organização de resistência, conhecida como Linha Cometa, o trem nunca chegou ao solo alemão. De fato, ele nunca foi muito além da estação ferroviária de Bruxelas.

Outras pessoas estão lendo

Cenário

Até meados de 1944, a Alemanha controlava a Europa ocidental. Um grupo clandestino belga de resistência foi formado, a Linha Cometa, para dar assistência aos aviadores e soldados aliados. A Alemanha dificultou o trajeto seguro em trem da Linha Cometa e outros grupos da resistência belga. O quartel-general da Linha Cometa, em Paris, foi descoberto pelos alemães e os membros da resistência foram capturados. Mas a resistência permaneceu um passo à frente da Gestapo em um plano que salvaria centenas de vidas.

Uma Viagem Sabotada

Primeiramente, problemas na máquina e funcionários desorganizados da via férrea fizeram com que o comboio não saísse da estação, quando o assistente do chefe de estação chegou ao local, naquela manhã, descobriu o que estava acontecendo, ordenou que o trem fosse parado. Um ferroviário transmitiu aos aviadores capturados, amontoados em um dos vagões de gado, a mensagem de que eles não seguiriam para a Alemanha, mas seriam libertados. Os interruptores foram desconectados e um engenheiro ferroviário, que trabalhava para a resistência, atirou-se do trem. A bomba de óleo foi perfurada, o suprimento de água foi sabotado. Os trilhos foram destruídos por explosivos. Os ferroviários fizeram tudo ao seu alcance para assegurar que o trem não seguisse para a Alemanha. O trem não foi muito longe.

A Tragédia se transforma em Triunfo

O trem foi desviado para outra cidade durante a noite depois que os alemães foram convencidos de que a máquina precisava de mais água. Quando o trem ficou parado em Muizen por dois dias, diplomatas dos países neutros se envolveram no caso e pediram ao general da SS o retorno do comboio a Bruxelas, ele se recusou. Depois que as nações neutras ameaçaram destruir os comboios-hospitais alemães, que conduziam soldados alemães feridos, Jungclaus finalmente cedeu e enviou o trem para Bruxelas. O trem voltou para a Estação Grande IIe de Bruxelas, para se descobrir, horas depois, que havia sido libertado pelos britânicos. As portas do comboio foram cuidadosamente arrombadas, libertando primeiro os prisioneiros civis, seguidos pelos aviadores, que desapareceram na cidade, livres dos alemães.

Resultado

Por causa dos atos corajosos e arriscados da resistência belga e da Linha Cometa, o comboio nunca chegou aos campos alemães. Muitas vidas foram salvas, e quase 300 delas encontraram segurança na Espanha, com a ajuda das resistências belga e francesa. A Bélgica comemora esse evento histórico, os aviadores, unidos para sempre por esse evento significativo, encontraram companheirismo e alguns continuaram amigos por toda a vida. Esse evento da Segunda Guerra Mundial é o único, de muitos, em que milhares de vidas foram salvas por pessoas corajosas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível