Planejamento de refeições para dieta renal de baixa proteína

Escrito por leigh a. zaykoski | Traduzido por mariana silva gray
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Planejamento de refeições para dieta renal de baixa proteína
Uma dieta pobre em proteína ajuda a aliviar o trabalho de seus rins (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Uma pessoa com doença nos rins ou insuficiência renal crônica pode usar uma dieta renal de baixa proteína para controlar a ingestão proteica. Seguir essa dieta envolve uma pesquisa cuidadosa e planejamento para determinar quanta proteína existe nos alimentos que você come diariamente. Levar o plano a diante pode ajudá-lo a reduzir a carga de trabalho de seus rins e diminuir a progressão da doença.

Outras pessoas estão lendo

Ingestão proteica

Seu médico ou nutricionista renal pode ajudá-lo a determinar sua ingestão diária de proteína. A American Association of Kidney Patients relata que a ingestão proteica diária ideal para alguém com problema nos rins é de 0,6 gramas por kg. Isso significa que uma mulher que pesa 60 kg poderia comer 32,7 g de proteína por dia e alguém que pesa 100 kg poderia comer 54,6 g. Uma vez determinado a quantidade de proteína que deve ser consumida a cada dia, você pode se informar sobre o conteúdo proteico dos alimentos e escolher itens que deseja consumir a cada dia.

Pesquisa alimentar

Quando você inicia uma dieta renal de baixa proteína, é necessário pesquisar seus alimentos favoritos para determinar seu conteúdo proteico. Carnes vermelhas, aves e peixe tipicamente contêm altos níveis de proteína, portanto você deve comer menores porções desses alimentos com menos frequência para reduzir seu ingestão de proteína. Por exemplo, 85 g de frango assado (sem a pele) contêm 23,06 g de proteína, de acordo com a USDA Nutrient Database. Comendo 56 g de frango assado reduziria o conteúdo proteico para apenas 15,38 g. Escolha frutas, legumes e amidos com níveis baixos de proteína para criar uma refeição nutritiva.

Desenvolvimento do cárdapio

Uma vez determinado o conteúdo proteico dos alimentos que você come frequentemente, é possível desenvolver um cardápio semanal para ajudá-lo a ter controle sobre sua ingestão de proteína. Além de carnes, ovos, nozes, legumes e produtos lácteos também tem níveis altos de proteína, portanto coma pequenas proções desses alimentos ou evite comê-los mais do que algumas vezes por semana. Termine seu cardápio com muita fruta, verduras e amidos. Se seu médico ou nutricionista pediu que sua ingestão de potássio, sódio ou fósforo também seja controlada, escolha alimentos que têm níveis baixos desses minerais além dos níveis baixos de proteína.

Ajustes na dieta

Você pode precisar ajustar sua dieta com base nos resultados dos exames de funcionamento dos rins ou por conselho médico. A creatinina, que é um resíduo produzido quando o corpo quebra as moléculas de proteína, pode acumular no sangue quando os rins não funcionam e adequadamente. Níveis altos de creatinina podem indicar que você precisa reduzir ainda mais sua ingestão de proteína. Se sua doença dos rins progredir a ponto da hemodiálise ser necessária, seu médico pode pedir que a ingestão de proteína seja aumentada. Isso ajuda a substituir a proteína que é perdida durante o processo de diálise.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível