Plantas medicinais e suas adaptações

Escrito por daniel zimmermann | Traduzido por marcella narvaes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Plantas medicinais e suas adaptações
A Vitória-régia é uma planta medicinal adaptada a vida em águas profundas (Water lilies in lake image by L. Shat from Fotolia.com)

Plantas medicinais crescem em uma variedade de habitats. Algumas têm adaptações que permitem com que vivam em áreas desérticas, enquanto outras podem sobreviver no meio de um lago. Algumas crescem em climas temperados enquanto outras estão adaptadas ao clima frio do Ártico ou ao calor dos trópicos. A maioria cresce do solo, mas algumas crescem em pedras ou árvores. Em resumo, as suas adaptações permitem que plantas medicinais existam em praticamente todos os lugares.

Outras pessoas estão lendo

Vitória-régia

As flores e rizoma da vitória-Régia têm sido usadas já por um longo tempo na medicina popular. Nymphaea alba, uma vitória-régia branca, e Nuphar luteum, uma amarela, servem como adstringentes para estancar o sangramento em feridas. As flores brancas têm adaptações que permitem que vivam em águas bem profundas de lagos, onde as folhas boiam. Elas têm suas raízes na parte enlameada do fundo. Seus longos caules alcançam a superfície, onde as folhas estão. As raízes não conseguem obter oxigênio da lama onde crescem, apesar que uma adaptação notável permite com que a planta sobreviva. O ar entra pelas folhas novas e desce até as raízes com oxigênio. Então o ar ascende, carregando gases residuais. Esse ar retorna para a atmosfera pelas folhas mais antigas.

Cactus do figo Índia

O Cactus do figo da Índia reduz os níveis de açúcar no sangue e é útil para diabéticos. Essa planta pertence ao gênero Opuntia, que é adaptada para sobreviver em climas secos. Suas folhas são figos da Índia que não permitem que a água escape para a atmosfera como outras folhas geralmente fazem. Seus caules suculentos estocam grandes quantidades de água, para que a planta tenha umidade suficiente para sobreviver por longos períodos de seca. Quando chove, raízes próximas da superfície absorvem qualquer umidade que cair no chão.

Salgueiro-do-ártico

O salgueiro-do-ártico é uma fonte da aspirina, então não é surpresa que esquimós usem essa planta para aliviar dores de dente. O salgueiro-do-ártico possui várias características que o adaptam para a vida no Ártico. Suas raízes são densas e próximas da superfície, com isso, ele cresce em áreas onde o chão permanentemente congelado não está muito abaixo da superfície. Além do mais, a planta não cresce muito acima do chão e como resultado, não sofre muitos danos dos ventos violentos. Alguns pelos nas folhas também oferecem um pouco de proteção contra o frio do Ártico.

Dendrobium Nobile

A medicina tradicional chinesa já fez uso de várias orquídeas da espécie Dendrobium, especialmente a Dendrobium Nobile. Essa orquídea é admiravelmente adaptada à vida em florestas tropicais úmidas. Ela não cresce do solo, mas empoleira-se em uma árvore sem danificá-la. Ela obtém umidade e minerais da chuva e de outros resíduos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível