Quais são as causas do desequilíbrio da relação ventilação-perfusão?

Escrito por matthew larson | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são as causas do desequilíbrio da relação ventilação-perfusão?
Ventilação e perfusão do pulmão são duas variáveis críticas que controlam os níveis de gás no sangue (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Em todo o pulmão, centenas de milhões de estruturas microscópicas, conhecidas como alvéolos, criam o elo funcional entre a circulação e a atmosfera. Dentro dessas estruturas especializadas de trocas gasosas situa-se a interface entre o influxo de oxigênio ambiental e o efluxo de dióxido de carbono produzido pelo metabolismo. Existe uma série de processos patológicos que podem comprometer a função hepática pela redução da ventilação do ar, perfusão do sangue ou ambos os mecanismos.

Outras pessoas estão lendo

V/Q (relação ventilação-perfusão) normal

A taxa de troca gasosa entre os pulmões e o sangue é determinada por dois fatores: a ventilação pulmonar e a perfusão sanguínea. Por exemplo, o movimento do oxigênio do ambiente para dentro do sangue depende de como esse oxigênio é inalado e de como o sangue está chegando aos capilares pulmonares. Para ocorrer uma troca gasosa eficiente, a perfusão do sangue até uma determinada unidade pulmonar deve ser equivalente à ventilação dessa unidade. Se áreas pulmonares estiverem recebendo somente uma ou outra, isto pode ter significativos efeitos nos níveis de gás respiratório.

Espaço morto alveolar

O conceito de espaço morto é útil quando se discutem vários aspectos da fisiologia respiratória. O espaço morto alveolar, especificamente, é a ausência de uma ventilação adequada nos alvéolos, ou nas estruturas de troca gasosa, em uma determinada seção pulmonar. E é importante notar que esta área pulmonar pode ainda estar recebendo fluxo sanguíneo normal, levando assim a uma troca gasosa ineficiente em todo o pulmão. Quando o sangue vai para uma região pulmonar que não está recebendo ventilação, esta não será capaz de absorver o oxigênio ou de remover o dióxido de carbono, porque o gradiente de pressão gasosa não está a favor do movimento apropriado do gás. A difusão natural de oxigênio dentro do sangue e de dióxido de carbono dentro dos pulmões só ocorre quando a ventilação de uma região pulmonar é estritamente equivalente à perfusão do sangue desoxigenado dessa região.

"Shunt" (desvio) da direita para a esquerda

Também conhecido como "shunt" (desvio) arterial-venoso, esta forma de desequilíbrio da relação ventilação-perfusão pode resultar de processos patológicos que afetam os vasos sanguíneos. Por exemplo, anormalidades cardiovasculares que permitem o desvio de grandes quantidades de sangue venoso para os pulmões reduzirão efetivamente a troca gasosa pela diminuição da perfusão sanguínea dos pulmões. Também conhecida como defeito septal interatrial, essa forma de doença cardíaca congênita permite a passagem do sangue desoxigenado do lado direito para o esquerdo do coração, sem entrar nos pulmões e participar na troca gasosa. Isto leva a anormalidades gasosas do sangue arterial, uma vez que os pulmões são incapazes de oxigenar o sangue e remover dele o dióxido de carbono que nunca recebe oxigênio.

Ventilação e perfusão reduzidas

Em alguns casos, tanto a ventilação como a perfusão estarão reduzidas, resultando em baixo oxigênio sanguíneo e elevado dióxido de carbono, o que também é conhecido como hipercapnia.

Aplicações

A área de superfície de absorção dos pulmões é enorme; se espalhados horizontalmente, os alvéolos que participam da troca gasosa cobririam uma área de 70 a 80 metros quadrados, ou uma quadra de tênis. Este órgão incrível evoluiu para atender às demandas metabólicas do corpo mediante o desenvolvimento de mecanismos para maximizar a troca gasosa com o ambiente. Por meio de uma precisa equivalência de ventilação alveolar e perfusão pulmonar, o sistema respiratório pode absorver oxigênio e expelir o dióxido de carbono com mais eficiência. O desequilíbrio da relação ventilação-perfusão é uma causa importante de transtornos nos níveis gasosos sanguíneos, levando geralmente à hipóxia clínica ou a oxigênio reduzido no sangue. Os médicos, com mais frequência, usam os resultados de testes e observações de um exame físico para determinar o mecanismo do desequilíbrio da relação V/Q, para ajudar a guiar as decisões terapêuticas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível