Mais
×

Quais são as causas para palpitações frequentes no coração

Atualizado em 23 março, 2017

Batimentos cardíacos acelerados ou palpitações são a resposta do corpo a um nível elevado de estresse, ansiedade ou atividade física; é uma função corporal completamente normal. Mas se você possui palpitações frequentes, isso pode indicar um problema médico mais significante.

Palpitações frequentes no coração podem ser sinal de um problema mais sério (Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Pressão sanguínea alta

Quando a pressão sanguínea do corpo está muito alta, o coração tem que bombear mais forte e mais rápido para conseguir ter o fluxo sanguíneo suficiente para os tecidos do corpo. Conforme o corpo se ajusta a uma pressão alta constante, você pode sentir uma palpitação frequente no coração.

Prolapso da válvula mitral

O prolapso da válvula mitral ocorre quando uma ou ambas as abas nas válvulas do coração não se fecham adequadamente com a contração do coração. Quando isso acontece, uma pequena quantidade de fluxo sanguíneo volta para o coração, causando um murmúrio. Essa condição normalmente resulta em palpitações no batimento cardíaco, dentre outros sintomas.

Aterosclerose

Com a aterosclerose, um acúmulo de placa nas artérias faz com que elas se tornem estreitas. Esse estreitamento diminui a quantidade de fluxo sanguíneo para o coração e dele para o resto do corpo, o que faz com que os batimentos fiquem mais rápidos para compensar essa insuficiência.

Distúrbio de ansiedade

Distúrbio de ansiedade generalizada é uma condição mental caracterizada por uma sensação persistente de ansiedade. O corpo responde com uma palpitação cardíaca e um senso de alerta aumentado.

Distúrbio de pânico

Distúrbios de pânico são caracterizados por frequentes ataques de pânico e episódios de medo e pânico irracional. Além dos sintomas mentais (pânico, medo, terror), os sintomas físicos incluem dor no peito, dificuldade para respirar e batimento cardíaco rápido.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article