A recuperação de uma mastectomia

Escrito por ezmeralda lee | Traduzido por vanessa santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A recuperação de uma mastectomia
Realize mamografias anuais e evite o câncer de mama (Creatas Images/Creatas/Getty Images)

A mastectomia é um procedimento cirúrgico para remoção de um ou ambos os seios, total ou parcialmente. Ela é realizada tipicamente para tratar vários estágios do câncer de mama, mesmo nos estágios de prevenção.

Outras pessoas estão lendo

Indicadores/identificação dos fatores

Embora os avanços na medicina tenham proporcionado técnicas para conservar as mamas dos pacientes com câncer, há alguns que se beneficiariam mais da mastectomia em relação a outros métodos. Mulheres que tenham se submetido a outros procedimentos cirúrgicos, como a lumpectomia ou terapia radioativa, mas que não tenham tido todos os nódulos cancerosos removidos, podem se beneficiar dela. Outras candidatas ideais incluem os homens vítimas do câncer de mama, gestantes, pessoas com doenças no tecido conjuntivo ou pacientes com nódulos cancerosos maiores que 5 centímetros que não tenham obtido sucesso dos tratamentos de quimioterapia.

Classificações

Um dos tipos de mastectomia, a mastectomia radical, remove todo o conteúdo das glândulas mamárias, tecidos adiposos, gânglios linfáticos, assim como os músculos subjacentes à mama. A mastectomia radical modificada permite que os músculos sejam mantidos intactos. Já a mastectomia subcutânea permite que a auréola e o mamilo sejam completamente preservados. A remoção apenas das partes afetadas da mama, juntamente com os gânglios linfáticos, representa o quarto tipo de mastectomia, chamada mastectomia total. O tipo que o paciente precisa depende de vários fatores, e o cirurgião irá discutir sobre essas opções antes da cirurgia.

Período de tempo para a recuperação

Como muitas cirurgias, os primeiros dias após tê-la realizado são os mais dolorosos, e normalmente requerem hospitalização. Após deixar o hospital, os pacientes devem ser privados de levantar objetos pesados e recomenda-se evitar atividades e situações em que o organismo tenha que se sobressaltar, como a corrida ou até mesmo andar em estradas de terra esburacadas, por 4 a 6 semanas após a cirurgia. Passado esse período o paciente deverá estar curado.

Efeitos

Junto com a remoção dos tumores cancerosos, a mastectomia afetará também consideravelmente a imagem do paciente, sendo uma das consequências mais difíceis de lidar. Alguns pacientes escolhem a cirurgia reconstrutiva para trazer uma aparência semelhante a que já tinham, o que requer 2 ou 3 cirurgias a mais. De forma alternativa, outros podem optar por sutiãs que incluem seios prostéticos, para dar uma aparência normal quando vestidas.

Equívocos

As mastectomias são usadas para tratamento do câncer de mama tanto em homens quanto em mulheres. Muitas pessoas acham que apenas as mulheres são afetadas por esse tipo de câncer, o que não é verdade. O procedimento é considerado uma terapia local, visando a mama afetada ou ambos os seios, em vez de tratamentos sistêmicos que afetam todo o organismo, e beneficia ambos os sexos.

Riscos e alertas

A mastectomia tem maior possibilidade de sucesso quanto mais cedo os tumores cancerígenos sejam descobertos. Assim, examine suas mamas pelo menos uma vez por mês, e faça mamografias anuais para visualizar os nódulos. O procedimento nem sempre resulta em sucesso, e outras terapias podem ser requisitadas como tentativas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível