Mais
×

Reginaldo Rossi: da mesa de bar ao trono do brega

Ser brega também dá fama
Reprodução www.portalsoma.com.br

Introdução

Irreverente, polêmico e bastante apaixonado. Vários são os adjetivos que descrevem a personalidade do cantor Reginaldo Rossi. Esse pernambucano hoje famoso em todo o Brasil levou muito tempo para ter sua carreira reconhecida. Ele obteve seus primeiros sucessos no final dos anos 1960, quando era um ativo membro da jovem guarda recifense. Mas foi só na década seguinte que Rossi abraçou sua veia romântica e brega. O resultado foi um sucesso estrondoso no Nordeste do País, onde até hoje continua sendo um dos artistas mais amados. Somente no final dos anos 1990, com o a música "Garçom", ele obteve o reconhecimento em todo Brasil.

Reginaldo chegou a trabalhar como professor antes de se entregar à música
Reprodução www.old.diariodepernambuco.com.br

Origens simples

Conhecido nacionalmente como "O Rei do Brega", Reginaldo Rossi teve uma origem humilde. Nascido no Recife, no dia 14 de fevereiro de 1944, ele teve uma infância tranquila. Somente aos 20 anos o cantor começou a se interessar de verdade pela música, quando teve contato com o trabalho dos Beatles e da Jovem Guarda. Entretanto, na época, isso era apenas um passatempo. Rossi chegou a cursar a faculdade de Engenharia Civil por quatro anos e também a dar aulas de matemática para jovens até largar tudo em nome de sua paixão: a música.

Anos 1960 marcaram o início da carreira
Reprodução Mercadolivre.com

Início de carreira

Em 1964, Reginaldo Rossi começou a despontar no Recife como cantor de covers. Sua imitação de Roberto Carlos era sempre uma grande atração, porém Rossi não queria viver na sombra de seus ídolos. Em 1966, junto com a banda The Silver Jets, ele lançou seu primeiro disco através da gravadora Chantecler. Com o título de "O pão", o álbum foi um sucesso instantâneo no Norte e Nordeste do Brasil. Com claras influências da Jovem Guarda, o disco ainda continha "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", canção romântica regravada por muitos outros cantores, como Odair José e Cássia Eller.

Rossi abraça o rótulo de Rei do Brega
Reprodução Fickr Léo Pinheiro - Fotógrafo

Da Jovem Guarda ao Brega

Depois do lançamento dos discos "Festa dos pães", em 1967, e "O quente", em 1968, Reginaldo Rossi começou a assumir o título de "Rei do Brega", que muitos lhe atribuíam. As canções com influência da Jovem Guarda, que já tinham uma grande carga romântica nas letras, ganharam um tom mais cafajeste. Então, Rossi aos poucos foi se tornando o contraponto de Roberto Carlos. Enquanto o "Rei" era sucesso em todo Brasil, Reginaldo dominava as paradas no norte do País.

Rossi abusava do romance nos anos 80
Reprodução Mercadolivre.com

Anos 1980

Mais maduro e cada vez mais ligado à música romântica, Reginaldo Rossi aproveitou a década de 1980 para consolidar seu nome como um dos maiores artistas nacionais. Suas canções ainda não haviam estourado no eixo Rio-São Paulo, mas o cantor continuava a arrastar multidões em shows pelo Norte e Nordeste, especialmente nos estados do Pará, Pernambuco e Bahia. Rossi abusava da breguice e da sensualidade. Nessa época, todas as capas de seus discos mostravam um cantor romântico e sedutor, usando roupas modernas que destacavam seu físico (não muito atlético).

Fama nacional demorou para chegar
TV Globo / Fabrício Mota

Finalmente o reconhecimento nacional

O "Rei do Brega" finalmente teve seu trabalho reconhecido nacionalmente no final dos anos 1990, com o lançamento da música "Garçom". Mesmo já tendo repercutido anteriormente, ela foi regravada para um disco ao vivo e explodiu em todo o Brasil, vendendo mais de um milhão de cópias. Na canção, um bêbado relata sua história de amor a um garçom. A música tem todos os ingredientes do brega: a letra sofrida, a chamada "dor de corno", teclados agudos e um refrão contagiante. A canção é a mais famosa de Rossi e o colocou definitivamente entre os cantores mais populares do Brasil.

Rossi se tornou um dos artistas mais queridos do país
TV GLOBO / Matheus Cabral

Novos sucessos e a grande mídia

Com o lançamento do disco ao vivo e o sucesso de "Garçom", Reginaldo acabou se tornando uma personalidade de culto. O clipe da canção chegou a ser um dos mais exibidos da MTV, algo até então impensado para um artista tão popular. Canções como "A raposa e as uvas", "Se seu amor não chegar" e "Foi saudade" também foram sucesso nas rádios. Com o destaque, outros cantores começaram a mostrar interesse pela sua obra.

Gravou seu primeiro DVD com 62 anos
Reprodução Fickr Léo Pinheiro - Fotógrafo

O primeiro DVD

Em 2006, ainda surfando no sucesso do seu "revival", a gravadora EMI resolveu lançar o primeiro DVD ao vivo do Rei do Brega. Em "Reginaldo Rossi - Ao vivo" estavam presentes todos os grandes sucessos da carreira do cantor, como "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", "O dia do corno", "Eu devia te odiar" e, claro, "Garçom". Graças ao repertório e ao carisma de Rossi, que abusava de cantadas, olhares sedutores e frases com duplo sentido, o DVD foi um sucesso de vendas.

Cabaret do Rossi juntava glamour com o brega
Reprodução entretenimento.uol.com.br

Cabaret do Rossi

O ano de 2010 foi de muita atividade para o cantor. Aproveitando a fama de brega e romântico, ele lançou mais um DVD, o "Cabaret do Rossi". Nele, a apresentação contava com vários itens de um cabaré. Tecidos de veludo, poltronas vermelhas e uma jukebox antiga ajudavam a construir o clima de romance no palco. Rossi também incluiu no repertório outros grandes clássicos do brega, como "Boate azul", "Dama de vermelho" e "Taras e manias". A crítica especializada recebeu muito bem o DVD. No 22º Prêmio da Música Brasileira, Rossi foi indicado a melhor disco popular e venceu a categoria de melhor cantor.

Sucesso da música não repercutiu nas urnas
TV Globo / Marcio Nunes

Breve carreira política

Rossi é um vencedor na carreira musical, acumulando vários sucessos e 14 discos de ouro, três de platina e um de diamante. Entretanto, a incursão do "Rei do Brega" na política não podia ser mais fracassada. Em 2008, ele se lançou como candidato a vereador de Jaboatão dos Guararapes, município da Região Metropolitana do Recife (Pernambuco), mas ficou longe de ser eleito. Depois, em 2010, mesmo ano que lançou o DVD "Cabaret do Rossi", tentou uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco pelo PDT. O resultado foi outro fracasso. Rossi teve apenas 14.934 votos, em torno de 0,33% dos votos do estado.

Fãs se solidariam no país com sua batalha contra o câncer
Reprodução www.noticiasdorn.com.br

Problemas de saúde

Reginal Rossi foi internado no Recife no dia 27 de novembro de 2013, depois de sofrer um derrame pleural, culpa do acúmulo de líquido no pulmão. O cantor foi diagnosticado com câncer no pulmão depois de biópsia realizada em nódulo retirado de sua axila. Com 69 anos de idade e a saúde frágil, Rossi iniciou um complicado tratamento para extinguir o tumor. Ele reagiu mal à primeira sessão de quimioterapia e precisou ter a pressão controlada através de hemodiálise e medicamentos. Após vários dias de internação em Unidade de Terapia Intensiva, o rei do brega faleceu no dia 20 de dezembro de 2013, deixando inconsolável uma legião de súditos.