Riscos de trabalho em hospitais

Escrito por jenny e | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Riscos de trabalho em hospitais
Funcionários de hospitais são expostos a muitos riscos (Assembly/Digital Vision/Getty Images)

Pessoas que trabalham em hospitais são expostas a muitos riscos. Pela própria natureza do hospital, isso é inevitável. Os funcionários estão constantemente sendo expostos a pacientes com todos os tipos de infecções e também a outros de riscos.

Outras pessoas estão lendo

Riscos biológicos

Riscos biológicos são aqueles causados por agentes infecciosos, como vírus, fungos, parasitas ou bactérias, que podem ser contraídos por meio do contato com objetos contaminados, como seringas e bisturis, ou através do contato com pacientes infectados. Doenças, como as hepatites B e C, citomegalovírus e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), são transmitidas por contato direto com o sangue infectado e fluidos corporais de pele ferida, inflamada ou rachada, e também fluidos dos olhos. A salmonela, a disenteria e a campilobactéria podem ser contraídas por contato inadequado com as fezes do paciente. Tuberculose, catapora e varicela podem ser contraídas por inalação de ar contaminado, enquanto a herpes tipo I e tipo II podem ser contraídas pela saliva.

Riscos físicos

Os riscos físicos para funcionários de hospitais incluem radiação iônica e não-iônica. A primeira é o tipo de radiação usada em procedimentos de diagnósticos como a fluoroscopia, o raio-x e a angiografia, e em tratamentos que envolvam o uso de injeções radioativas ou implantações. Os efeitos a longo prazo de exposição a radiação iônica incluem danos genéticos e efeitos negativos na saúde reprodutiva. A radiação não-iônica inclui a radiação dos lasers, proporcionam alto risco aos olhos e à pele.

Riscos ergonômicos

A ergonomia envolve a aplicação da ciência para desenvolver ambientes, ferramentas e estações de trabalho que se ajustam às limitações e habilidades físicas e mentais. Isso inclui riscos, como pisos escorregadios, corredores desordenados, utensílios pontiagudos e o manuseio de tais materiais. Um dos ferimentos mais comuns em hospitais são as lesões musculoesqueletais, especialmente na lombar, por lidarem e precisarem levantar pacientes e objetos pesados. A aplicação de estratégias ergonômicas pode ajudar a aliviar esse problema.

Riscos químicos

Muitas substâncias químicas usadas em hospitais podem ser tóxicas ou prejudiciais ao corpo humano. Os funcionários responsáveis pela limpeza dos hospital são expostas com frequência a agentes de limpeza e esterilização. Os que trabalham na limpeza de laboratórios são expostos a fixadores de tecidos e reagentes. As enfermeiras são expostas a desinfetantes, solventes e agentes anti-câncer. A equipe do centro cirúrgico é frequentemente exposta a agentes anestésicos, enquanto os médicos também são expostos a agentes anti-câncer e desinfetantes.

Violência

O National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) (Instituto Nacional de Saúde e Segurança Ocupacional) dos Estados Unidos define a violência no local de trabalho como "atos violentos (incluindo ataques físicos e ameaça de ataques) contra pessoas que estejam trabalhando ou em plantão". Eles afirmam que pesquisas têm mostrado que os funcionários de hospitais sofrem alto risco de violência no trabalho, que ocorre com mais frequência nos períodos de alta atividade e interação com os pacientes. Tais ataques costumam ocorrer quando algum serviço é negado ou quanto um paciente é internado involuntariamente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível