Mais
×

Como saber se o salmão está estragado?

Atualizado em 21 novembro, 2016

Afundar seus dentes em um filé de salmão desencadeia sabores salgados e apetitosos em sua língua enquanto o peixe derrete na boca. Porém, morder um pedaço de salmão estragado pode significar grandes problemas, especialmente se ele contiver a bactéria mortal E. coli. Por, às vezes, estar marinado ou com outros aromas, o cheiro de peixe ruim fica mascarado, sendo vital, portanto, inspecionar cuidadosamente qualquer tipo de peixe antes de se preparar para cozinhá-lo. Siga alguns passos simples antes de fazer salmão para que sua experiência com este peixe delicado continue a ser positiva.

Instruções

O peixe começa a estragar assim que é morto, portanto, sempre procure pelo salmão mais fresco (Jupiterimages/liquidlibrary/Getty Images)
  1. Cheire o peixe para ver se consegue detectar algum aroma estranho. Um peixe fresco tem odor normal, mas quando o salmão está estragado seu cheiro é duvidoso e ruim.

  2. Veja a cor da carne do lado de dentro do peixe. O salmão pode desenvolver descolorações ou manchas marrons conforme vai estragando. Ele deve ter uma cor rosada ou avermelhada saudável que não seja muito escura. Nem sempre é fácil saber se o peixe está escuro porque em alguns é adicionado corante, portanto, verifique se há outros sinais de que ele esteja fresco.

  3. Avalie o peixe para ver se os músculos internos ainda estão juntos. Você deverá ver as linhas, mas eles devem ter uma ligadura no topo da carne. Essas áreas gradualmente se separam conforme o salmão vai estragando, parecendo ter lacunas nele.

  4. Toque na carne rosada do salmão para sentir a textura. Ela deve parecer ligeiramente firme, mas não viscosa. Quando estragada, pode desenvolver uma fina camada escorregadia no topo. O salmão fresco tem um brilho claro, mas não de viscosidade.

  5. Olhe os olhos do peixe se a cabeça estiver intacta. Eles devem ter um aspecto límpido, brilhante, sem qualquer nebulosidade ou manchas escuras.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article