Ajude seus filhos a se adaptarem a uma mudança de escola

••• Getty Images

Normalmente, as mudanças são eventos saudáveis para a vida de todos. Fazem a energia fluir, o que está parado mudar e uma nova chance de começar tudo de forma diferente. Entretanto, ela pode ser complicada, sobretudo para as crianças, que ainda não têm a maturidade emocional para lidar com as perdas e para conquistar novos relacionamentos de forma tão rápida, principalmente ao se mudarem de escola. Mas, com paciência e tempo, é possível ajudar os pequenos nessa adaptação. A seguir, algumas dicas de como incentivar os filhos a fazer novos amigos na escola.

Overview

Normalmente, as mudanças são eventos saudáveis para a vida de todos. Fazem a energia fluir, o que está parado mudar e uma nova chance de começar tudo de forma diferente. Entretanto, ela pode ser complicada, sobretudo para as crianças, que ainda não têm a maturidade emocional para lidar com as perdas e para conquistar novos relacionamentos de forma tão rápida, principalmente ao se mudarem de escola. Mas, com paciência e tempo, é possível ajudar os pequenos nessa adaptação. A seguir, algumas dicas de como incentivar os filhos a fazer novos amigos na escola.

Acompanhe a mudança

E. Dygas/Photodisc/Getty Images

Ao chegar em um ambiente novo, onde não conhece o espaço e as pessoas que ali estão, a criança pode ter dois comportamentos: ou ela se joga na nova experiência, sedenta por conhecer a novidade, ou então se fecha em sua insegurança e vergonha. Quando mudar seu filho de escola, tenha paciência e dedique um tempo, talvez uma semana ou mais para ajudar o pequeno na adaptação. De preferência, fique com ele nos primeiros dias, acompanhando as tarefas, até que ele se enturme e consiga permanecer no colégio sem você, quando já estiver ambientado com os novos colegas e as educadoras.

Converse sobre as novidades

Jupiterimages/liquidlibrary/Getty Images

Como ainda não tem a linguagem totalmente definida, a criança faz suas experiências primeiro a nível inconsciente. Então, para poder trazer à luz da realidade, ao consciente, é preciso conversar ou, então, arrumar outras formas de expressão para que ela entenda de fato o que está acontecendo. Nas primeiras semanas na nova escola, converse bastante com seu filho, fale sobre o colégio novo, reforce os nomes dos amigos, saliente as brincadeiras que fazem, elogie as educadoras e o local. Assim, o novo aluno trará cada vez mais para o nível da consciência, por meio da linguagem, a nova situação e conseguirá fazer seus novos laços de amizade sem medo.

Participe da escola

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

A comunhão entre família e escola é fundamental para o bom desenvolvimento da criança. É verdade que nem todas as escolas permitem que os pais tenham total acesso, mas muitas estimulam que haja alguma participação. Quanto mais os pais se sentirem seguros e familiarizados com o novo colégio, mais seguro o filho também ficará. E, assim, poderá se abrir para novas amizades com segurança, afinal percebe isso nas pessoas que mais confia, seus pais.

Respeite o tempo da criança

Comstock/Comstock/Getty Images

Nem todo mundo consegue chegar em um novo cenário e já ficar amigo das pessoas. Crianças, por mais que sejam receptivas e abertas ao novo, ainda assim podem ter alguma dificuldade em já criar amizades de forma instantânea. Ajude seu filho, conversando, mas sobretudo tendo paciência e não cobrando dele que esteja 100% enturmado aos novos colegas antes do tempo certo. Lembre-se: crianças têm um tempo de amadurecimento. Acelerar isso pode deixá-las ainda mais inseguras.

Acolha nas rejeições

Siri Stafford/Lifesize/Getty Images

Seu filho chegou na nova escola e não conhece ninguém. Pode acontecer das demais crianças, já adaptadas e conhecidas umas das outras, não o aceitarem prontamente. Lidar com a rejeição não é fácil para ninguém, sobretudo para as crianças. Nessa hora, vale dar muito carinho ao pequeno rejeitado, abraçar sem economia, conversar, enxugar as lágrimas e mostrar a ele que é querido por muita gente. Assim, com o tempo, ele vai entender que para ser amado pelos amigos precisa, primeiro, cativar.

Entrose-se com os pais dos amiguinhos

Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images

Ao chegar em um ambiente novo, conhecer as pessoas e se sentir aceito por elas é um grande aliado na adaptação. Além do mais, quem não gosta de fazer novos amigos, não é? Se você se entrosar com os pais dos colegas de escola de seus filhos, por meio das conversas na entrada e saída, convidá-los para um café em sua casa ou marcar uma ida ao parquinho no fim de semana, pode ajudar sobremaneira na amizade entre as crianças. Afinal, os pequenos, vendo os pais se relacionando, podem copiar o comportamento e também ficar amigos de forma mais rápida e sem tantas reservas.

Conte com a ajuda da escola

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Muitas escolas já têm um plano de ação para enturmar os novos alunos aos antigos. Isso por que é comum para eles crianças entrarem e saírem. Fazer uma parceria com os educadores ajuda, e muito, para que o pequeno se adapte logo e faça novas amizades. Portanto, se seu filho estiver com dificuldade para criar laços, não exite em conversar com a diretoria e os professores, certamente eles terão dicas úteis de como auxiliar sua criança nesta tarefa. A união entre pais e escola é uma excelente aliada contra as dificuldades do novo aluno.

Não é preciso agradar a todos

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Impossível agradar a todos, por mais bacana que a gente seja. Essa é uma realidade que vale para todo mundo, sem diferença de idade. As afinidades e interesses em comum é que fazem com que as pessoas se tornem amigas e se gostem. Explicar isso para seu filho será determinante para que ele entenda, com o tempo, que nem todas as crianças da escola terão amizade com ele. Não ser amigo de uns não é um problema e isso tem de ficar claro para ele. Não é questão de rejeição, apenas algo normal no mundo dos relacionamentos em geral. Fale que colegas são todos, mas amigos talvez sejam poucos.

Aconselhe sobre as dificuldades

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Às vezes, o que achamos ser um grande problema se torna muito pequeno quando falamos sobre ele. À medida que verbalizamos o que nos incomoda, as palavras ganham forma e normalmente ficam menores do que parecem. Isso é válido também para a criança. Estimule seu filho a falar sobre as dificuldades que tem na escola. Sabendo o que o aflige, você conseguirá ter insumos para ajudá-lo a superar o problema. Assim ele também se sentirá seguro, sabendo que você está ao lado dele.

Promova brincadeiras em casa

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Em um fim de semana, convide os novos colegas da classe para brincarem em sua casa. Fale com os pais deles e chame os que seu filho têm mais afinidade para um lanche e uma tarde de brincadeiras. Com as crianças em casa, os laços de amizade de seu filho ficarão ainda mais consolidados. Além disso, seu baixinho se sentirá mais seguro brincando com os amigos em seu território, onde tem segurança para ser livre e não vai se sentir intimidado perante os novos colegas.

Transmita segurança

Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images

É claro que é difícil lidar com as inseguranças e medos dos filhos. Que mãe não se sente mal ao ver o filho passando por problemas? Ao perceber que seu pequeno está com dificuldades para fazer novos amigos na escola, não se desespere. Entenda que faz parte do processo de aprendizagem dele, que é um aspecto normal na vida de todos nós e que, com o tempo, as coisas melhoram. O importante é você se sentir segura e não passar aflição para a criança. Afinal, pais e mães são os grandes referenciais emocionais dos pequenos e devem passar-lhes tranquilidade para driblar as dificuldades naturais dos desafios.

Peça ajuda profissional

Digital Vision./Digital Vision/Getty Images

Se mesmo com todas essas dicas anteriores, ainda assim está difícil de seu filho fazer novos amigos na escola, procure a ajuda de um profissional. Talvez um pedagogo, um educador do próprio colégio ou um psicólogo especializado em crianças possam ajudar de forma mais rápida e efetiva. Não se sinta mal por ter de contar com um especialista. Ele, com sua formação e por estar acostumado a lidar com diversas questões do universo infantil, poderá atacar o problema de forma mais eficaz.

Mais recentes

×