Por que os coletores de escape ficam de cor laranja incandescente nos motores diesel?

Escrito por richard rowe | Traduzido por mariana de mello andré scarani
Por que os coletores de escape ficam de cor laranja incandescente nos motores diesel?
Apesar de parecerem frios, os coletores de escape brilhantes são bem quentes (Kim Steele/Photodisc/Getty Images)

Acredite ou não, mas não é incomum que o coletor de escape fique incandescente nos motores diesel, especialmente sob carga. Mesmo em seus melhores dias, a temperatura média dos gases de escape do motor a diesel comum pode fazer seu coletor ficar avermelhado em condições de baixa iluminação. É algo em que se deve prestar atenção, mas que não é uma sentença de morte para seu motor ou turbina.

Calor visível

Todos os objetos metálicos que são mais quentes do que o zero absoluto emitem uma certa quantidade de luz infravermelha como resultado da vibração de seus átomos. Conforme o metal fica mais quente, a luz sai do espectro infravermelho e chega ao visível. Inicialmente vermelho, então laranja, amarelo e finalmente branco. O ferro usado nos coletores de escape costuma brilhar no espectro visível, vermelho, entre 370 e 480 graus Celsius, ficando completamente vermelho a 650 graus, laranja a 980 graus e amarelo a cerca de 1370 graus.

Temperatura dos gases de escape dos motores diesel

Os motores diesel diferem dos a gasolina basicamente por serem acelerados por combustível, e não por ar, o que basicamente significa que a rotação é controlada através da medição do combustível, e não do ar. Quanto mais combustível é admitido, mais potência o motor desenvolve. Mas não ache que isso significa que o diesel é capaz de desenvolver potências infinitas, desde que continue injetando combustível. Como todos os motores, os a diesel alcançam sua limitação de potência com base na quantidade de ar que é capaz de admitir. Se injetar combustível demais, em um ponto atrasado demais do ciclo, o óleo diesel, que é de queima lenta, não será queimado a tempo, e não haverá ar para isso. Assim, ele entrará no coletor de escape ainda queimando, e algumas centenas de graus mais quente do que deveria estar.

A taxa ar / combustível

Temperaturas de gases de escape excessivas, nos motores a diesel, são quase sempre resultado de mistura excessivamente rica. Ela pode acontecer de duas formas: pela injeção demasiada de combustível ou pela falta de ar para queimá-lo. O primeiro costuma acontecer após instalar conjuntos de aumento de potência, que injetam mais combustível para aumentar a potência. A restrição de ar — ou melhor, oxigênio — pode ocorrer devido a alguns fatores, como vazamento de pressão da turbina, filtro de ar entupido e altitude alta. Qualquer falha do sistema intercooler diminui a densidade do ar da admissão, o que priva o motor de oxigênio e aumenta a temperatura dos gases de escape.

Consequências

Peças vermelhas incandescentes não são boas para nenhum motor, não importa o quão resistente seja. Hipoteticamente, é possível fazer um motor suportar temperaturas de operação acima de 1000 graus, mas por que gastar mais fazendo isso, se em operação normal as temperaturas nunca passarão de 700 graus? O coletor de escape em si pode acabar rachando, mas esse é o menor de seus problemas. A falha do turbocompressor é quase certa, e conforme o calor chega nos cilindros e no bloco, é quase certo que haja danos ao motor. Um sistema de escape de alto fluxo é a forma mais rápida de se diminuir a temperatura dos gases do escape, mas você precisará, eventualmente, reduzir a quantidade de combustível que está sendo injetada ou instalar uma turbina maior para fornecer mais ar.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível