Complicações do estoma

Escrito por amber keefer | Traduzido por marcella narvaes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Uma cirurgia cria um estoma, um pequeno orifício no abdômen, feita ao costurar uma abertura no intestino ou ureter na superfície do abdômen. Uma bolsa pode ser ligada ao estoma para coletar fezes ou urina para fora do corpo. Essa cirurgia pode ser necessária quando parte do intestino ou sistema urinário foi removido. A necessidade de um estoma pode ser temporário ou permanente dependendo da extensão da cirurgia que o paciente fez. Algumas complicações podem surgir.

Outras pessoas estão lendo

Tipos

Existem três tipos básicos de estomas. Urostomia é uma abertura que sai dos ureteres que permite que a urina seja eliminada do corpo sem passar pela bexiga. Esse tipo de estoma pode ser localizado no centro ou no lado esquerdo ou direito da parte de baixo do abdômen.

Ileostomia é uma abertura do intestino delgado para que as fezes possam ser eliminadas sem passar pelo intestino grosso. O estoma é geralmente cortada na parte de baixo do estômago.

Uma colostomia é uma abertura no intestino grosso, que permite que os restos saiam do corpo sem passar pelo ânus. O lugar mais frequente para a abertura é na parte de baixo e da esquerda do abdômen.

Complicações comuns

Complicações comuns do estoma incluem retração do intestino de volta para o abdômen, intestino prolapsado ou hernia parastomal. Quando um estoma retrai, ela puxa para dentro causando com que as fezes vazem por baixo. Isso pode deixar a pele ao redor dolorida.

Intestino prolapsado se projeta para fora, aumentando o tamanho. Enquanto isso pode parecer assustador para o paciente, um estoma prolapsada não é fatal. Isso pode ser uma complicação futura que á associada com uma colostomia de emergência. A fístula pode ser corrigida com uma cirurgia pequena. Músculos abdominais enfraquecidos ou uma recuperação fraca depois da cirurgia podem fazer com que a área ao redor do estoma inche. Nesse caso, a hernia parastomal pode ser a causa do bloqueio ou obstrução. Apesar de não ser dolorida, a hernia pode causar desconforto e é tratada com uma anestesia local.

Outras complicações

Complicações prematuras que podem se seguir depois da cirurgia incluem sangramentos, infecções, fístulas, vômitos, desidratação, ou as ocorrências mais graves de isquemia do estoma ou deiscência de ferida pós-cirúrgica. A isquemia envolve o fornecimento de sangue inadequado para a área enquanto a deiscência do estoma leva a uma contaminação da ferida com as fezes causando irritação e dor.

Complicações futuras do estoma podem envolver infeção persistente, obstrução do intestino, câncer, doença de Crohn ou varizes ao redor da área do estoma. Um paciente também corre o risco de desenvolver distúrbios cutâneos como dermatite, psoríase, úlceras na pele, celulite, impetigo ou uma infecção viral ou fúngica.

Cuidados com o estoma

A bolsa que conecta o estoma cabe debaixo da roupa e é fácil de ser trocada. Bolsas são projetadas para serem à prova de vazamentos ou odores. Uma enfermeira que cuida de estomas irá mostrar como limpar a bolsa. Pacientes com estomas devem tomar muitos líquidos e comer comidas regulares a fim de entrar em uma rotina de higiene pessoal. Em alguns casos, algumas pessoas aprendem a contar o tempo dos movimentos intestinais ao limpar o estoma com água morna da torneira.

Inclua pequenas quantidade de fibra na sua dieta pelos primeiros meses depois da cirurgia. Depois disso, você pode aumentar lentamente a quantidade de fibra na dieta. Agende visitas de rotina com seu médico para que ele possa checar as condições da área do estoma.

Efeitos colaterais

Ás vezes o intestino pode estreitar ou estender para fora do estoma impedindo que fezes passem pela bolsa. Esses problemas podem precisar de correção com cirurgia. O estoma associado com a ileostomia ou colostomia pode se mover sozinho. Se isso acontecer, não há motivo para preocupação. Mantenha em mente que, em alguns casos, o estoma está preso ao intestino, que aperta e contrai conforme a comida digerida passa por ele.

Diarreia é outro efeito colateral comum, especialmente durante os primeiros dias seguidos da cirurgia. Até que seu sistema se regule, seu médico ou enfermeira pode aconselhá-lo a beber e comer alimentos com alto teor de potássio e sal.

Prevenção

Como seu corpo está se adaptando a um intestino ou sistema urinário menor, é importante consumir uma dieta que inclua os nutrientes necessários. Evite comer alimentos como nozes, milho, aipo, cogumelos e coco, já que esses podem causar bloqueios. Isso é ainda mais importante se você tem ileostomia. O íleo é estreito e pode ficar facilmente bloqueado.

Coma pequenas quantidades de comida e mastigue bem. Se você teve uma colostomia, você não deve comer repolho, feijão ou brócolis. Como com a ileostomia, coma devagar e não fale enquanto come para não engolir muito ar. Com qualquer tipo de estoma, você deve tomar muitos líquidos e comer alimentos com muita fibra para evitar ficar constipado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível