A diferença de Dionísio para os outros deuses gregos

Escrito por frank b. chavez iii | Traduzido por pina bastos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A diferença de Dionísio para os outros deuses gregos
A adoração a Dionísio não se originou na Grécia (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

Dionísio era o antigo deus grego da vegetação, do vinho e das festividades. Ele era retratado ou como um belo jovem ou como um velho barbudo. Foi nos festivais em sua homenagem que os gregos desenvolveram o drama. No entanto, alguns gregos antigos achavam as diferenças entre Dionísio e seus outros deuses extremamente perturbadoras.

Outras pessoas estão lendo

Origens estrangeiras

A adoração a Dionísio, diferentemente da adoração aos deuses do monte Olimpo, não teve origem na Grécia. Estudiosos lançaram a hipótese de que este culto veio do país ao norte da Grécia, chamado Trácia, ou da Frígia, nos dias de hoje, Turquia, ou da civilização minoana da ilha de Creta, no mar Mediterrâneo. Muitas cidades-Estado gregas não aceitavam a adoração de um deus estrangeiro. Por isso, seus seguidores praticavam seus rituais em segredo.

Nascido duas vezes

Muitos mitos gregos descrevem o nascimento os deuses. No entanto, os mitos de Dionísio o descrevem como "nascido duas vezes". Em um mito, ele é filho de Zeus, rei dos deuses e da mortal Semele. Hera, a esposa de Zeus, se disfarçou de ama de Semele e exigiu desta que provasse que Zeus era o pai da criança chamando-o para descer em toda a sua glória. Infelizmente para Semele, o glorioso Zeus apareceu como um raio. Um pouco antes de Semele morrer, Zeus removeu o bebê do útero dela e o colocou dentro da sua própria coxa, atuando tanto como pai quanto como mãe. Dionísio nasceu, então, da coxa de Zeus.

Seguidoras mulheres

Os primeiros seguidores de Dionísio foram mulheres, conhecidas como "mênades", ou "mulheres loucas". A maioria dos deuses gregos eram adorados em templos. As mênades adoravam Dionísio no deserto. Elas entravam em um transe frenético através de uma dança selvagem, a "oreibasia", acompanhada de tambores, flautas e címbalos. Enquanto estavam em transe, elas caçavam cobras e outros pequenos animais e os faziam em pedaços em um ritual chamado de "omofagia". As mênades acreditavam que comendo carne crua elas se tornavam uma só com Dionísio e com as forças selvagens da natureza.

Religião banida

Líderes cívicos em algumas cidades-Estado podem ter tentado banir o culto a Dionísio. Segundo um mito, o rei Panteus de Tebas baniu o culto e até prendeu Dionísio. Este fugiu da prisão e disse ao rei Panteus que ele podia espiar o ritual se fosse disfarçado de mulher. O rei Panteus aceitou. No entanto, as mênades o descobriram, e no seu frenesi o tomaram por engano por um leão e o fizeram em pedaços. Após o ritual, Agave, a mãe de Panteus e mênade líder, se deu conta para seu horror de que ajudara a matar o próprio filho.

Morte e ressurreição

Os deuses gregos eram considerados imortais. No entanto, por causa da sua conexão com a vegetação, que morre no inverno e renasce na primavera, Dionísio era considerado um símbolo de morte e ressurreição. Em um mito, ele é retratado como o filho de Zeus e Demeter, a deusa das colheitas e da vegetação. A ciumenta Hera pede aos deuses antigos chamados Titãs que matem e comam a criança. Mas a deusa Atena salva o seu coração e o dá para Zeus. Zeus faz Semele comer o coração, e Dionísio renasce.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível