Como envolver-se em uma terapia comportamental dialética

Escrito por walli carranza | Traduzido por ana rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O diagnóstico do Transtorno de Personalidade Borderline é o primeiro passo na reconstrução das vidas de mais de seis milhões de americanos, predominantemente mulheres. O transtorno afeta as relações através do comportamento manipulativo que esse distúrbio provoca. Como pensava-se que o problema era causado exclusivamente por uma infância sem carinho suficiente, pesquisadores já provaram as diferenças físicas específicas na química do cérebro que levam a sentimentos de medo e abandono e a incapacidade de inibir o comportamento impulsivo. Isto dá uma nova esperança aos indivíduos que procuram tratamento e suas famílias. Os medicamentos podem restaurar a química normal do cérebro e a terapia comportamental dialética pode então ser usada para restaurar o comportamento funcional.

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • O diagnóstico de Transtorno de Personalidade Borderline
  • Psiquiatra para receitar medicamentos necessários
  • Psicólogo formado em Terapia Comportamental Dialética
  • Programas de tratamento públicos

Lista completaMinimizar

Instruções

    Tratando o Transtorno de Personalidade Borderline com a terapia comportamental dialética

  1. 1

    Encontre um psiquiatra certificado para confirmar o diagnóstico do Transtorno de Personalidade Borderline depois de completar uma autoavaliação. Esteja ciente de o que o transtorno é geralmente diagnosticado com uma ou mais problemas, tais como a depressão, ansiedade, transtorno bipolar ou abuso de substâncias. Divulgar honestamente seus sintomas é crucial para garantir um diagnóstico preciso. Pode ser útil levar uma pessoa do seu convívio com você para garantir que os sintomas que você está descrevendo sejam levados a sério.

  2. 2

    Pesquise opções de medicamentos. Antes de iniciar a medicação para o tratamento do transtorno, pesquise que drogas são comprovadamente mais eficazes. Saiba os efeitos colaterais de cada opção de medicação e consulte o seu médico de cuidados primários para se certificar de que não existem contraindicações em seu histórico médico. Ligue para o seu plano de saúde e peça para falar com um gerente de caso. A enfermeira pode pesquisar opções de medicamentos para você e fornecê-los com o custo de compra mensal sob receita. Em seguida, entre em contato com o psiquiatra e discuta as informações que descobriu. Os medicamentos para o Transtorno da Personalidade Borderline são geralmente necessários por um longo tempo. É importante saber que você será capaz de tomar os medicamentos que você e seu médico optaram e que você é capaz de pagar por eles também.

  3. 3

    Localize um psicólogo clínico treinado em Terapia Comportamental Dialética. O gerente do seu plano de saúde pode ajudá-lo a encontrar dois ou três psicólogos para entrevista. Procure um psicólogo clínico que esteja preparado e treinado através de um programa supervisionado em Terapia Dialética. Ao entrevistar o psicólogo, pergunte sobre sua filosofia de tratamento comportamento dialético. Procure um profissional que seja positivo sobre a oportunidade de afetar a remissão completa dos sintomas do transtorno e que esteja atualizado sobre a evidência de que se trata de uma doença fisiológica, bem como de que a medicação oferece a melhor chance de uma remissão completa. A personalidade de um terapeuta eficaz deve combinar uma perspectiva positiva e esperançosa, bondade e o apoio, e um espírito não-julgador.

  4. 4

    Verifique com seu plano de saúde para garantir se os profissionais que você selecionou estão em sua lista de associados e que a terapia é um benefício coberto para o diagnóstico do Transtorno de Personalidade Borderline. Se você estiver coberto pelo plano, ligue para o seu profissional terapeuta para pedir que ele nomeie uma enfermeira-gerente com experiência em cuidados de saúde comportamental para ajudá-lo a gerir o seu tratamento. Deixe que a profissional saiba que você foi diagnosticado com o Transtorno de Personalidade Borderline e discuta quaisquer outros diagnósticos também. Ela pode ajudar a procurar por opções de medicamentos, localizar psicólogos certificados e ajudá-lo a calcular o custo de seu tratamento. Lembre-se que não tratar o transtorno é muito mais caro do que a medicação e a terapia. As pessoas com Transtorno de Personalidade Borderline não tratadas têm uma chance muito baixa de sucesso profissional e os danos que acompanham o problema custam muito caro também. Os honorários advocatícios para o divórcio ou a custódia da criança, os custos de morar sozinho, gastos impulsivos e os custos de empregos perdidos são muito mais elevados do que finalmente tomar o controle de seu transtorno e de sua vida. Se o seu tratamento não for coberto pelo plano ou se você não tiver os fundos para pagá-lo, ligue para o Instituto de Saúde Mental local e peça um encaminhamento para um tratamento sem nenhum custo ou uma clínica de baixo custo em sua área. Se o seu plano não cobre cuidados mentais, fale com seu médico sobre a prescrição e indicação de um Departamento de Psicologia Clínica em uma universidade local para verificar se o tratamento do Transtorno de Personalidade Borderline é oferecido lá. Essas são medidas de redução de custos que podem deixar o tratamento acessível.

  5. 5

    Comece a tomar os medicamentos prescritos em consulta com seu psiquiatra ou prestador de cuidados de saúde primários.

    A maioria dos medicamentos utilizados no tratamento de Transtorno de Personalidade Borderline leva várias semanas para chegar a um nível eficaz no seu sangue. Alguns têm efeitos colaterais que desaparecem com o tempo. Seja paciente, mas relate os efeitos secundários ao seu médico imediatamente.

    Lembre-se de que o transtorno é o resultado de padrões anormais de neurotransmissores no cérebro e que os medicamentos que está tomando são como uma insulina para um diabético -- são necessários. É seu direito buscar e receber tratamento eficaz para esta doença, incluindo medicamentos, que são um sinal de que você está pronto para se tornar um cidadão ativo, buscando seu maior nível de bem-estar e funcionalidade.

  6. 6

    Assistia às sessões privadas e sessões de grupo do Transtorno de Personalidade Borderline e complete todas as tarefas de casa, um processo que deve levar cerca de um ano.

    Uma vez que você inicia o processo de tratamento, prosseguirá através de quatro fases. A primeira fase é um período pré-compromisso onde avaliará como o transtorno afetou sua vida e a de outras pessoas ao seu redor. Durante esta fase, será solicitado que você se comprometa a mudar e o terapeuta discutirá como essa mudança será apoiada. A natureza do tratamento dialético é reconhecer que a mudança é necessária e que é difícil, ao mesmo tempo. Seu objetivo nesta fase é aceitar essas duas verdades e se comprometer com a jornada que virá adiante.

    Na primeira fase real, você aprenderá novos padrões de comportamento que começam com a mudança de todos os comportamentos de risco de morte ou tratamento ameaçador.

    A segunda fase destina-se a aumentar a sua capacidade de experimentar uma gama completa de emoções e reduzir os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático. Nem todos que sofrem do Transtorno de Personalidade Borderline passaram por eventos traumáticos em suas vidas, mas muitos o têm, e esta fase é para resolver o passado e libertar-se para o presente.

    As duas últimas fases são o tempo para reconstruir sua autoestima com base em realizações reais e lidar com a questão da sua identidade; ambos os fatores feridos pelo transtorno.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível