Procedimentos de transfusão de plaquetas

Escrito por annabelle brown | Traduzido por joão melo
Procedimentos de transfusão de plaquetas
Baixos níveis plaquetários podem resultar em sangramento intenso (hand with blood image by Ivonne Wierink from Fotolia.com)

As plaquetas são produzidas na medula óssea e são os elementos sanguíneos responsáveis pela coagulação. Pessoas em tratamento para o câncer ou com complicações medulares geralmente não possuem plaquetas suficientes e devem receber uma transfusão. Elas também são indicadas para indivíduos com baixa contagem plaquetária e que passarão por cirurgia, a fim de diminuir o risco de hemorragias. Uma transfusão desse tipo é um processo simples com poucos efeitos colaterais.

Doação e armazenamento

As plaquetas são coletadas de doadores através de dois métodos. O primeiro é chamado de aférese de plaquetas, nele o sangue é retirado do corpo via um pequeno aparelho, onde as plaquetas são separadas. O sangue remanescente é, então, devolvido ao doador. No segundo método, os doadores fornecem o sangue e as plaquetas são separadas do material obtido depois. Enquanto a aférese de plaquetas requer apenas um indivíduo para encher uma bolsa (ou unidade), a partir de uma doação comum pode-se precisar de até cinco pessoas para completar uma unidade. Cada doador é selecionado cuidadosamente e cada doação é testada antes do uso para minimizar o risco de infecções.

Transfusão

A transfusão de plaquetas é um procedimento relativamente simples. Um pequeno tubo é inserido na veia para que o material seja passado por via intravenosa. Já que se está recebendo uma transfusão plaquetária ao invés da sanguínea, os trombócitos doados não precisam ser compatíveis com o tipo sanguíneo, mas geralmente são. Uma unidade dos elementos será transfundida, o que levará cerca de 15 a 30 minutos. O procedimento pode ser feito normalmente em um ambulatório.

As plaquetas duram apenas de 2 a 3 dias, então pode-se receber até três transfusões por semana, até que o corpo seja capaz de regularizar a produção. Se houver temperatura alta, as plaquetas não funcionarão de forma efetiva e pode-se precisar de mais transfusões.

Efeitos colaterais possíveis

Os efeitos colaterais associados à uma transfusão de plaquetas são raros e podem incluir calafrios e febre alta. A aférese de plaquetas causa reações menos comumente. Se houver necessidade de transfusões múltiplas, você perceberá que as plaquetas se tornam menos eficientes, com o tempo.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível