Como sobreviver emocionalmente ao divórcio

Escrito por beverly bird | Traduzido por paula belchior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como sobreviver emocionalmente ao divórcio
O divórcio pode ser muito doloroso (cÅ“ur brisé image by Ellsing from Fotolia.com)

Aqueles de nós que se casam têm a intenção de permanecer casados para sempre, ou nunca teriamos nos casado. Mas, estatisticamente, 41% dos primeiros casamentos terminam em divórcio. Embora as leis de dissolução matrimonial ditem as normas gerais, existem regras de ouro para sobreviver ao fim de um casamento em todas as ocasiões.

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Prepare-se para o pior. O divórcio será um dos eventos mais estressantes que você já viveu de forma catastrófica emocionalmente, financeiramente e socialmente. Segundo a tabela de pontuação dos estresses durante a vida cotidiana utilizada pelos profissionais de saúde mental, o divórcio está em segundo lugar, logo atrás da morte de alguém especial que você jurava que amaria para sempre. "Durante o processo de divórcio é preciso manter o foco e olhar para o futuro de uma forma positiva", diz Erika A. Appenzeller, Esquire, uma advogada de direito da família com o Leonard Law Group in Atlantic City, New Jersey. "Você sobreviverá enquanto não se desligar emocionalmente e tiver apenas pensamentos negativos".

  2. 2

    Converse com alguém. Você precisa passar por um certo processo de luto por algo que você valorizou – um compromisso de vida pelo qual você lutou – ter morrido. Quanto mais você desabafar enquanto tenta ajustar-se, mais o ajuste se torna fácil. "As emoções que você experimentará são naturais, mas não as deixe consumi-lo", diz Appenzeller. Mesmo que o seu plano de saúde não cubra uma terapia, tente tratar-se com alguém cujo trabalho é ouvir.

  3. 3

    Mime-se. Houve algo que você gostava de fazer quando era solteiro e que deixou de fazer pelo seu cônjuge. Torne-o um ponto a relembrar e, em seguida, comece a praticá-lo novamente. Pode ser tão simples como um banho de espuma estendido com um copo de vinho ou tão complexo como uma viagem de safári à África, que você sempre sonhou fazer. Ponha em prática agora, porque não existe mais nada que o impeça. Isso não somente pode oferecer-lhe um ponto brilhante na existência que se tornou temporariamente estressante como ajudará a restaurar a sua alma para o que e quem você era antes de casar-se. "Você sobreviverá, enquanto encontrar algo de positivo para fazer todos os dias", diz Appenzeller.

  4. 4

    Compartilhe a criação de seus filhos com seu ex-cônjuge graciosamente, não importa o quanto ele lhe incomode. A lei é firme em todos os lugares ao afirmar que as crianças merecem a companhia de ambos os pais. E o compartilhamento fica mais fácil conforme o tempo passa, porque, independentemente do quanto você ame seus filhos, é muito difícil ser uma mãe solteira. "Com o tempo, você chegará ao ponto onde se encontrará ansiosa para a noite ou noites que seus filhos passam com o seu ex-cônjuge", diz Appenzeller. "Você precisará de algum tempo de inatividade, quando um outro adulto for responsável por todos os detalhes e as decisões".

Dicas & Advertências

  • Lembre-se que, independentemente do quanto despreza seu ex, seus filhos provavelmente não compartilham esse sentimento. Eles sempre amarão seu outro pai, mesmo se você não o fizer. E caso tente interferir nisso em qualquer forma, um dia eles crescerão, olharão para trás, e o verão como uma má pessoa.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível