×
Loading ...

Técnicas e exercícios para manter uma boa memória

Getty Images

Introdução

Com o passar dos anos, é comum que nossa memória vá perdendo um pouco de agilidade, porém não devemos aceitar tal fato de forma passiva. Assim como os músculos do nosso corpo, o cérebro também deve ser exercitado. Com isso, nossa memória ganha cada vez mais velocidade de raciocínio e destreza, para lembrar e pensar com agilidade de forma correta. Antes de conhecer algumas técnicas e exercícios, é importante saber que sem uma boa alimentação e uma vida saudável os efeitos serão mínimos e quase imperceptíveis. Portanto, cuidar da sua saúde será importantíssimo para o êxito dessa tarefa.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Tenha uma atividade física regular

Escolha o melhor exercício para você. Pode ser natação, futebol, vôlei, basquete, corrida ou até mesmo uma boa caminhada. O importante é se movimentar. A atividade física estimula a formação de novas células cerebrais nas áreas responsáveis pela memória e aprendizado. Se você não tem tempo para ir a uma academia ou para ir a um parque, comece a fazer caminhadas para ir ao trabalho, buscar o filho na escola ou dê uma volta no quarteirão na hora do almoço. Qualquer pequeno exercício físico fará muito bem para você. O seu corpo agradecerá tal esforço a longo prazo. E a sua memória também!

Ryan McVay/Digital Vision/Getty Images

Monte quebra-cabeças

É quase como voltar a ser criança. Brincar com um quebra-cabeça exige muito do seu cérebro. Concentração e esforço serão fundamentais para montá-lo. No entanto, você pode fazer com que esse jogo fique ainda mais interessante: cronometrando o tempo que leva para encaixar as peças de seu quebra-cabeça. Depois, repita o processo quantas vezes desejar. Você vai ver que cada vez será menor o tempo para montar a figura. E não somente aqueles que você já conhece, como também os novos. Se quiser variar o desafio, outros jogos também estimulam o raciocino e são super recomendáveis, como sudoku, dominó, jogo de perguntas e respostas, jogo de cartas e cubo mágico, entre outros.

Ryan McVay/Lifesize/Getty Images

Crie exercícios mentais

Imagine que você está em uma sala de consultório médico esperando para ser atendido e muitas pessoas estão ao seu redor. Determine quantas estão na sala e como estão vestidas. Divida o ambiente em dois grupos, seja direita ou esquerda, homens ou mulheres, faça-o como quiser. Depois, decore os objetos daquela sala, reparando em cada peculiaridade e no diferencial de cada um. Se possível, anote algumas dessas características observadas. Mais tarde, tente se lembrar de todas as pessoas e objetos vistos no lugar, sem consultar as suas anotações. Outro exercício pode ser retirar o identificador de chamadas do seu celular e tentar adivinhar quem está falando com você, somente pelo timbre de voz.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Fale outro idioma

A partir do momento que começa a estudar outro idioma, a sua memória é ativada. Você verá que muitas vezes ficará confuso e não saberá qual a maneira certa de falar tal palavra em determinado idioma. Não se preocupe, é normal. Isso mostra que você está se desenvolvendo em outra língua. E, de certa forma, para se lembrar da palavra em seu idioma materno, você forçará a sua memória para buscar a resposta correta. Para fazer associações, sempre que aprender uma nova palavra, pense em outras cinco que comecem com a mesma letra. É uma dica bastante útil.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Faça listas

É verdade que, ao fazer uma lista e depender dela, você deixará de usar sua memória. Mas, para dar um bom uso à sua capacidade cognitiva, ao criar listas, você terá que exercitar sua memória para saber o que deve ser feito. Aqui, o que vale é enumerar tudo de forma correta. Não faça uma lista rápida somente para ter uma. É necessário dedicação para fazê-la de forma completa, com toda a informação necessária. Por exemplo, ao fazer uma lista de supermercado, tente realizar as compras sem olhar para ela, mas não se esqueça de conferir a relação no final das compras. Outra alternativa é criar listas dos últimos dez filmes que você assistiu no cinema, dos últimos livros que você leu, dos sites que você mais visita na internet, por exemplo. A proposta é desafiar o seu cérebro a tirar da gaveta a informação que ficou armazenada e está fora de uso há tempos.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Durma bem

Você já deve ter escutado que uma boa noite de sono é a melhor solução para qualquer desafio. E é verdade. Uma noite bem dormida resolve todos os problemas. Isso acontece porque, ao dormir, fixamos as atividades do dia anterior e preparamos o cérebro para o dia que virá. Se puder, depois do almoço, tire um cochilo de até 30 minutos. É fundamental para que o cérebro, que se cansou pela manhã, enfrente todo o resto do dia. Então, quando estiver buscando a solução para alguma dificuldade, consulte o travesseiro. Você encontrará as respostas que precisa.

Jupiterimages/Goodshoot/Getty Images

Leia muito

Praticar a leitura é um excelente estímulo. Além de aprender novas palavras e enriquecer o seu vocabulário, ajudará a sua memória, e muito. A leitura é uma das atividades cerebrais mais completas, justamente porque incentiva todo o processo cerebral. Ao ler, você começa a imaginar e deixa a criatividade voar. Depois de ler, remonte a história, visualize os personagens, as cenas, tente se lembrar com riqueza de detalhes o máximo que puder. E, principalmente, não se limite. Leia tudo o que estiver ao seu alcance: revistas, livros, cartas, jornais, e-mails. Para adquirir o hábito da leitura, termine de ler esta matéria e continue lendo mais artigos do eHow Brasil. Você verá que é um hábito natural e muito gratificante!

Chad Baker/Photodisc/Getty Images

Pratique a neuróbica

A neuróbica nada mais é do que uma aeróbica para os neurônios. E consiste em inverter a ordem natural das coisas, sem mudar a sua rotina. Com isso, a percepção de tudo que está ao seu redor será um tanto diferente. Ao mudar a ordem das coisas, você fará com que seu cérebro trabalhe muito mais, pois este não irá funcionar no piloto automático. Alguns exemplos: utilize o relógio de pulso no braço contrário, ande pela casa de trás para frente, se vista de olhos fechados, vejas as horas através do espelho, troque o mouse de lado, faça caminhos alternativos para chegar aos lugares em que está acostumado ir e escove seus dentes com a mão trocada.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Dance com frequência

Dançar faz bem em qualquer idade, para o corpo e para a alma. Habilidades como ritmo, agilidade, força, equilíbrio e flexibilidade são desenvolvidas enquanto o seu corpo baila. Caso você já pertença ao grupo dos idosos, dançar lhe trará ainda mais benefícios: ao se movimentar, você se esforça para memorizar a ordem dos passos e se concentra na correta realização da dança. Sensações vividas no passado virão à tona, trazendo recordações felizes da sua juventude. Tudo isso é garantia de uma vida saudável e feliz, não somente para o corpo e a memória, mas também para a alma.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Mantenha o bom humor

Quando estamos tristes, nervosos, angustiados, desmotivados, de luto, em depressão ou sofrendo algum tipo de estresse é comum que a capacidade mental caia drasticamente. Por isso, é muito importante lutar contra o mau humor. Estar de bom humor é sorrir para a vida, mesmo além das dificuldades. E com isso, a memória vai funcionar melhor e encontrar a solução para os problemas será muito mais fácil. Procure estar sempre alegre, fuja de situações que provocam nervosismo e, sempre que possível, tire um tempo durante o dia para descansar e realizar atividades que você gosta e que lhe façam bem.

Brand X Pictures/Brand X Pictures/Getty Images

Seja criativo

Não acredite se lhe disserem que existem pessoas que não são criativas, pois todas são. Só precisam saber onde desenvolveram mais a criatividade. Encontrar a sua fonte de criatividade ajudará você a exercitar seu cérebro para coisas novas. Ele ficará ligado e com uma capacidade de ideias que você nem desconfia. Caso você não saiba onde está a sua criatividade, comece a fazer coisas que lhe dão prazer. Cozinhar, tocar um instrumento, estudar algo novo, costurar, praticar um esporte. O importante é encontrar uma atividade que faça bem a você. Não deixe de procurar. Você verá que seu cérebro irá funcionar melhor e sua mente ficará mais ágil com a prática de novos hobbies.

Photos.com/AbleStock.com/Getty Images

Concentração

Tudo o que fazemos está ligado diretamente à nossa concentração. Se não nos concentramos ao realizar determinadas atividades, não nos lembraremos de nada e teremos dificuldade para realizar tarefas diversas. Basta ver as pessoas que, por exemplo, fecham a porta de sua casa e voltam para checar se a porta estava fechada ou não. É normal, em alguns momentos, que você não esteja 100% concentrado. Mas se isso for muito comum em sua vida, vale a pena tomar certos cuidados. Tente se concentrar em tudo o que faz e verá que, em pouco tempo, as soluções ficarão mais claras e evidentes em sua vida.

Ablestock.com/AbleStock.com/Getty Images

Alimente-se bem

A alimentação pode passar despercebida, mas é de suma importância para o bom funcionamento da memória. Alguns alimentos, como álcool e frituras, podem fazer muito mal para a saúde do cérebro. Outros, pelo contrário, fazem muito bem. Aumentando o consumo de peixes, frutas cítricas e vegetais amarelos, frutas vermelhas, carnes, aves, grãos integrais, legumes, leite e derivados, além de gema de ovos, você ajudará a sua memória. Isso porque esses alimentos possuem vitaminas do complexo B, que ajuda a regular a transmissão do impulso nervoso entre os neurônios. No caso da carne, o ferro colabora com a boa memória.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Mude o foco

Outra maneira de exercitar o cérebro e ter boa memória é encarar a mesma situação por distintos pontos de vista. Dê um passo para trás para ver a situação mais distante, aperte os olhos, deixe a criatividade e a imaginação fluir em cada desafio que aparecer. Colocar-se no ponto de vista de outra pessoa também ajuda você a, não só entender os outros, mas fazer com que mais associações sejam feitas, e dessa forma seu cérebro trabalha mais. Sabe aquele ditado que diz que é mais fácil resolver a vida dos outros do que a nossa? Isso acontece porque nós, que estamos de fora, vemos a situação de outra maneira. Raciocinamos diferente e com objetividade. Permita-se ver a situação de perspectivas distintas e você verá como sua memória reagirá positivamente.