Trombocitopenia imunomediada em cães

Escrito por amanda delgado | Traduzido por weber figueiredo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Trombocitopenia imunomediada em cães
Trombocitopenia imunomediada (Comstock/Comstock/Getty Images)

As células do sangue conhecidas como plaquetas cuidam de pequenos rompimentos nos vasos sanguíneos do cão. Quando o sistema imunológico do cão impede que as plaquetas realizem seu trabalho, uma condição chamada trombocitopenia imunomediada, se desenvolve. Ela geralmente ocorre em cães de meia-idade e raças que possuem predisposição a esta condição, tais como Poodles, Old English Sheepdogs e Cocker Spaniels.

Outras pessoas estão lendo

Causas

Quando o sistema imunológico do cão identifica erroneamente as plaquetas como organismos invasores, os anticorpos inibem essas plaquetas. As células do baço chamadas fagócitos, que normalmente destroem as plaquetas velhas, atacam as plaquetas revestidas com anticorpos a uma taxa muito mais elevada. A causa subjacente para as ações do sistema imunológico são desconhecidas. Possíveis catalisadores incluem fatores genéticos, vacinas, toxinas e as infecções virais ou bacterianas. Se a trombocitopenia ocorrer enquanto o corpo do cão estiver lançando anticorpos para combater uma toxina ou infecção, estes anticorpos poderiam confundir as plaquetas com organismos invasores, caso suas estruturas sejam semelhantes.

Sintomas

A perda de plaquetas na trombocitopenia provoca contusões espontâneas, que muitas vezes aparecem como grandes hematomas compostos de manchas menores. Os lugares mais fáceis de detectar este problema são as gengivas, barriga e a parte branca dos olhos. Pequenas quantidades de sangue podem ser vistas nas fezes ou urina. Sangramentos do nariz também podem ocorrer. Em casos graves, hemorragia interna em áreas vitais, como a medula espinhal ou cerebral, constituindo um risco para a vida.

Diagnóstico

O diagnóstico de trombocitopenia envolve a análise do sangue para determinar a contagem de plaquetas e glóbulos vermelhos presentes. Outros métodos são exame de urina, análise da medula óssea, exame de fezes e raios-x ou ultra-som para verificar os órgãos internos. Outras condições que causam a baixa contagem de plaquetas, como os estrogênios artificiais e doenças transmitidas por carrapatos, devem ser descartadas. Se os testes mostrarem uma contagem de plaquetas normal, acompanhada por função plaquetária anormal, possíveis causas, entre as quais o uso excessivo de aspirina ou pancreatite devem ser verificadas antes de se fazer um diagnóstico.

Tratamento

O tratamento de trombocitopenia se concentra na supressão do sistema imunitário, a fim de reduzir a destruição de plaquetas e produção de anticorpos. Os corticosteroides, como a prednisona, são os medicamentos mais usados​​, embora ocorram efeitos colaterais como aumento do apetite frequentemente. Fortes medicamentos imunossupressores, tais como a azatioprina podem ser utilizados, caso os esteroides sejam ineficazes provoquem efeitos colaterais graves. A maioria dos medicamentos começa a fazer efeito dentro de três a cinco dias. A esplenectomia, ou a remoção cirúrgica do baço, pode ser realizada se os medicamentos não funcionarem ou se a trombocitopenia ocorrer repetidamente após o final do tratamento.

Recaídas

Hemogramas frequentes tirados durante a diminuição da dosagem da medicação podem ajudar a detectar recaídas antes dos sintomas externos aparecerem. Estes exames normalmente ocorrem até três semanas após as mudanças de dosagem e pouco antes de ocorrer uma nova mudança. Em caso de recaída, a medicação é aumentada e a terapia de drogas a longo prazo pode ser necessário. Os efeitos colaterais associados ao uso a longo prazo de medicamentos, tais como ganho de peso, podem se desenvolver.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível