Tipos de alongamentos antes da patinação artística no gelo

Escrito por elizabeth genge | Traduzido por elisa dias
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tipos de alongamentos antes da patinação artística no gelo
Patinação artística no gelo (Ryan McVay/Digital Vision/Getty Images)

Quando vemos um patinador artístico profissional, geralmente somos impressionados pela graça e poesia que nos é mostrada. A música, as roupas e a sensualidade podem nos fazer crer que o atleta está flutuando no gelo. Mas, na verdade há uma vasta preparação antes da performance de cada patinador. O mais importante dessa preparação é uma série de alongamentos especializados somente para aquecer os músculos do atleta, permitindo que ele estejam flexíveis e fortes. É só depois desse processo que o patinador pode ganhar asas e voar.

Outras pessoas estão lendo

Benefícios

O maior benefício de se alongar antes do exercício de patinação artística é despertar o sistema nervoso central, o que dá vida aos músculos e tecidos que serão usados durante a coreografia. Um patinador que parece equilibrar o peso todo do corpo em uma perna depende da flexibilidade e extensão dos movimentos que um alongamento bem feito pode dar. Cada salto, pirueta e movimentação pelo gelo é infundido com uma vitalidade e poder que, de outra forma, não estariam presente. Um patinador artístico profissional provavelmente pretende trabalhar por muitos anos e, com as técnicas de alongamento certas, ele conseguirá manter sua musculatura alongada e flexível, garantindo a eles pouca probabilidade de machucados e danos aos tecidos. É de extrema importância que qualquer alongamento antes de patinar seja feito até o limite de movimento de cada músculo ou ligamento. Se não for considerado esse fato, é bem provável que um patinador obterá um resultado doloroso e com chances de se machucar.

Alongamentos para o tornozelo

A força no tornozelo é tão crucial a um patinador quanto a respiração. Sem ela, aterrissagens limpas de vários saltos e espirais provavelmente não aconteceriam. Ademais, um alongamento bem feito no tornozelo dará ao patinador melhores desenhos lineares na perna, dedos apontados e sequências mais criativas. Tudo isso o levará a ter uma coreografia segura, precisa e atraente. Um ótimo exemplo de alongamento é este: o patinador fica de pé com um de seus pés atrás do outro, apontando o pé/dedos da perna de trás de forma que a ponta dos dedos ainda toque o chão. Em seguida, ele dobra levemente ambos os joelhos até que sinta um alongamento na parte da frente da perna de base e no tornozelo da perna secundária.

Alongamentos para a panturrilha

Tão importantes quanto os alongamentos no tornozelo são os para a panturrilha. Na coreografia de um patinador artístico, a altura do pulo pode ser tão importante quanto uma aterrissagem limpa. Além de ajudar o patinador a dar seus pulos, esse alongamento torna outros truques, como piruetas agachadas, mais fáceis de fazer quando as panturrilhas estão propriamente aquecidas. Isso também pode ajudar a fortalecer o lado artístico e a fluidez da própria coreografia. Um dos alongamentos mais fáceis para a panturrilha consiste em colocar um pé em frente do outro, gradualmente dobrando a perna de base. O peso do patinador irá para frente, e é importante manter a perna base esticada, pressionando o calcanhar no chão. Esse alongamento é feito da melhor maneira se o patinador posiciona suas mãos em uma parede. Deverá, então, haver um alongamento notável na panturrilha da perna de base. Esse processo é repetido em cada perna.

Alongamento para o tendão da perna

Junto à coreografia de pulos de um patinador, os tendões são usados para fazer certas piruetas e giros, geralmente as com nome de 'donut' e 'catch-foot camel'. É necessária uma enorme quantidade de força por parte do patinador para pegar a lâmina de seus patins e resistir à força centrífuga do próprio giro. Portanto, um bom aquecimento dos músculos dos tendões irá diminuir consideravelmente câimbras que podem resultar da performance dessa parte em particular da coreografia. Um alongamento eficaz consiste em o patinador inclinar a parte de cima de seu corpo sobre o lado de um banco, com uma perna liderando e a outra seguindo. Ele, então, inclina vagarosamente seu quadril para frente, certificando-se de manter as costas retas. Se feito corretamente, o patinador sentirá uma leve sensação de alongamento na perna de base. Repita-o para a outra perna.

Alongamentos para os quadríceps

Além da ajuda para pulos que esse grande grupo muscular dá, o apoio primordial de um giro sentado que o patinador faz depende da força do quadríceps. Embora muitos assumam que pulos e saltos são as partes mais exigentes de uma coreografia sobre patins, na realidade são os giros requerem força muscular. Portanto, um alongamento adequado para esse grupo muscular é igualmente importante e um alongamento fácil para eles é um simples deslizar na parede. O patinador o faz ficando em pé, com as costas contra a parede, deslizando para baixo e alcançando uma posição como se estivesse assentado. Se possível, ele deve tentá-lo apoiando-se inicialmente com os dois pés e, em seguida, com apenas um.

Alongamentos para as laterias, peitoral e pescoço

Logo atrás do atleticismo e força que muitas partes da coreografia sobre patins requerem, está a arte que é simultaneamente demonstrada. Cada giro, salto e pulo fica mais impressionante quando a parte superior e inferior do corpo do patinador estão em sincronia. Apesar disso, o patinador pode evitar lesões nos músculos pélvicos e desequilíbrios que acontecem quando não se tem essa região condicionada propriamente para a coreografia. Começando com os músculos laterais (quadratus lumborum), o patinador pode alongar essa região ficando em pé com os pés na mesma distância dos ombros. Depois, se dobra levemente o joelho e deixa o lado direito do quadril se abaixar. Em seguida, se esticará o braço para cima da cabeça, dobrando-o na altura da cintura, repetindo esse alongamento para os lados direito e esquerdo do corpo. Quanto aos músculos peitorais, um patinador pode alongá-los ficando em pé e de lado a cerca de 3 a 5 cm de uma parede. Ele coloca o braço mais perto da parede contra ela, na altura do ombro. Gentilmente, o patinador gira na direção oposta à parede através do peitoral. Os alongamentos para o pescoço servirão para diminuir a tensão nos ombros e aumentar a mobilidade. Além disso, um patinador conseguirá ter facilidade de se expressar com essa área se for alongada corretamente, e também conseguirá se equilibrar mais facilmente, necessário para as piruetas de costas. O melhor alongamento para esses músculos é alcançado colocando uma mão no topo da cabeça. Gentilmente, puxe a cabeça para frente até que sinta um pequeno puxão, repetindo-o dos dois lados. Como todos os outros alongamentos, o atleta deve alongar somente até o ponto de resistência e nunca até sentir dor.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível