Mais
×

Como tirar o gosto amargo de amoras-silvestres

Atualizado em 17 abril, 2017

As amoras-silvestres são frutinhas saborosas e nutritivas pertencentes à mesma família dos morangos e framboesas. Este tipo de amora cresce na natureza e também é cultivado em zonas temperadas por todo o mundo. Essas amoras possuem um sabor doce e terroso em vinho, além de serem ricas em ácido fenólico, que é um potente antioxidante. No entanto, algumas vezes as amoras-silvestres e amoras-silvestres sem espinhos podem ter um sabor ligeiramente amargo. Use açúcar para adoçá-las e retirar o sabor amargo delas.

Instruções

Use amoras-silvestres em tortas e outras sobremesas (PhotoObjects.net/PhotoObjects.net/Getty Images)
  1. Lave as amoras-silvestres antes de comer. Coloque as frutinhas em uma tigela cheia de água, depois escorra e enxágue. Coloque as amoras no refrigerador sem lavar se estiver pretendendo usá-las posteriormente — lave-as apenas antes de comer.

  2. Adicione 1/4 de uma xícara de açúcar para 2 xícaras de amoras-silvestres. Use uma colher para mexer gentilmente e dissolver o açúcar. O açúcar absorve o suco natural das amoras e dissolve o gosto amargo, adoçando-as.

  3. Coma as amoras-silvestres adoçadas. Como alternativa, adicione 1 colher das amoras adoçadas em um copo de iogurte, ou combine com cereais, panquecas, saladas de fruta e milkshakes.

  4. Adicione o açúcar nas amoras-silvestres e armazene-as em um recipiente hermético na geladeira se estiver pretendendo usá-las posteriormente. As amoras adoçadas retêm a nutrição e a textura por mais tempo do que as amoras congeladas não adoçadas. O açúcar adoça as frutinhas e forma uma camada protetora que impede a oxidação devido à exposição ao ar.

Dicas

  • Adicione uma pequena quantidade extra de açúcar em receitas quando for usar amoras-silvestres sem espinhos para preparar geleias e tortas. Esse tipo de amora é uma variedade de frutas cultivadas com um sabor ligeiramente amargo.

O que você precisa

  • Açúcar
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article